Economia

Barreiras discute Ferrovia Oeste-Leste

Nesta segunda-feira (8), o município de Barreiras, no Oeste baiano, sediou a primeira consulta pública sobre a ferrovia Oeste-Leste com a presença do governador Jaques Wagner.

A primeira consulta pública sobre a Ferrovia da Integração Oeste-Leste teve início por volta de 10h de hoje com a presença do governador Jaques Wagner, que fez a abertura da audiência. A consulta está sendo realizada no município de Barreiras, região Oeste da Bahia, a 800 quilômetros de Salvador. Além do governador participam do evento, o presidente da Valec, empresa responsável pela obra, José Francisco das Neves, do secretário executivo do Ministério dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, prefeitos da região, moradores e autoridades políticas.

Cerca de 1200 pessoas, entre moradores, produtores, lideranças regionais, empresários e prefeitos da região participam da plenária. Durante a consulta pública, será apresentando o traçado da Ferrovia Oeste-Leste, que terá 1,5 mil quilômetros de extensão, de Ilhéus, no Sul da Bahia, a Figueirópolis, em Tocantins. O investimento previsto é de R$ 4 bilhões, e já está no orçamento federal. Seu traçado é resultado de uma discussão com toda a equipe de governo e da observação de elementos importantes, como reservas indígenas entre outros detalhes técnicos e ambientais.

Na consulta, a sociedade poderá esclarecer suas dúvidas sobre o processo de implantação da ferrovia e fazer sugestões. Para o morador de Barreiras, Elizeu Oliveira, 29 anos, a ferrovia vai acelerar a economia do município e de toda região oeste. Ele acredita que ferrovia oeste-leste vai melhorar o escoamento da produção, atualmente prejudicada pelas condições das rodovias. “Aqui há muitas dificuldades no transporte de nossa produção agropecuária por causa das estradas esburacadas”, ressaltou. Além do escoamento de toda a produção agrícola regional, a implantação da ferrovia deve gerar cerca de 10 mil empregos diretos.

Os trechos da estrada de ferro serão leiloados e explorados em subconcessões, compreendendo operação, conservação, manutenção, monitoração, melhoramentos e adequação, com prazo de 30 anos, a partir da assinatura do contrato. O cronograma está sendo cumprido e já foi entregue o Estudo de Impacto Ambiental e o Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA), dependendo agora da licença prévia ambiental.

A previsão é que a conclusão do primeiro trecho, Ilhéus (Sul) a Caetité (Sudoeste baiano), aconteça em julho de 2011; do segundo, de Caetité a Correntina/Barreiras (Oeste baiano), em julho de 2012; e do terceiro, de Correntina/Barreiras a Figueirópolis (TO), em dezembro de 2012.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: