Política

Pec dos vereadores – Suplente faz greve

O suplente de vereador Aroldo de Azeredo (PSB), do município de Itiúba (BA), retomou esta semana uma greve de fome nas dependências do Congresso Nacional para defender a votação da chamada PEC (Proposta de Emenda Constitucional) dos Vereadores.

Apesar do esvaziamento do Congresso provocado pelo feriadão de Corpus Christi, o suplente disse estar disposto a permanecer em greve de fome até a semana que vem, quando o plenário do Senado deverá colocar a matéria em votação. Os suplentes defendem a aprovação da PEC na expectativa de assumirem cadeiras nas Câmaras de Vereadores de diversos municípios brasileiros.

A Câmara dos Deputados se comprometeu em promulgar outra proposta, que aumenta o número de vereadores no país, caso esta PEC seja votada pelo Senado. Se a matéria for aprovada, Azeredo espera assumir o mandato. “Essa PEC corta R$ 1,4 bilhão dos repasses às Câmaras Municipais, portanto gerando uma economia para o Poder Executivo. Esses recursos podem ser investidos em áreas essenciais, como educação e saúde. Não vou recuar, manterei a greve de forma até que os senadores aprovem a PEC em plenário”, afirmou o suplente.

Abatido pela greve de fome, Azeredo disse que vai manter o protesto mesmo com os corredores vazios do Congresso nesse feriadão. Em Itiúba, alguns moradores acham que a causa pode ser justa, mas acham o gesto radical. “Ele é meio doido”, disse um morador que pediu para não ter o seu nome revelado. “Acho que na última eleição ele teve uns 400 e poucos votos”, completou, avaliando a possibilidade de Azeredo assumir, caso a PEC seja aprovada.   

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas