Cultura

Despedida – Imagens do São João

Para ajudar a manter as nossas tradições culturais, mostramos algumas festas neste portal. Agora, apresentamos uma síntese das melhores imagens, os melhores festejos, e o resultado das duas enquetes que realizamos.

Mesmo com a descaracterização da festa em alguns lugares, em outros municípios, contudo, os organizadores fizeram questão de resgatar as velhas tradições ou, no mínimo, impediram que o São João fosse atropelado pelo carnaval, ou que a guitarra se sobrepujasse à sanfona.

Mas, neste mundo globalizado e revirado, não é muito fácil segurar a peteca. É que a força da indústria cultural é muito grande. Em nome dos lucros e da profissionalização da festa, “eles” não têm qualquer compromisso com as tradições regionais. E, assim, no afã de não deixarem parados os grupos de axé e pagode, empurram nos pacotes para os prefeitos.

Sem boa base cultural ou intelectual, ou sem o compromisso com a própria história dos seus municípios, boa parte dos gestores cai no conto dos empresários e contratam para animar a festa grupos sem a identificação com a proposta junina. Nada contra os outros rimos musicais, mas precisamos respeitar Januário e Luiz, os precursores de tudo isso.

Por isso, cabe-nos louvar aqueles gestores que souberam preservar as tradições juninas, ou, no mínimo, fizeram uma mescla sem esconder a força da sanfona, do triangulo e da zabumba. O exemplo mais louvável neste caso foi o do prefeito de Jequié, Luiz Amaral, que, além de homenagear oficialmente o forrozeiro e ritmista Jackson do Pandeiro, mandou divulgar em toda a freguesia que as tradições seriam mantidas.

Mas louvores também para outros gestores, como o prefeito Tarcizio Pimenta, em Feira de Santana, que levou os festejos para todo o interior do município. Da mesma forma fez Paulo Cezar, em Alagoinhas. Enfim, outros podem ter feito até melhor, mas paremos nestes três exemplos.  

O nosso portal também procurou colaborar o quanto pode para manter a força das tradições juninas. Ora publicando artigos como os da historiadora Consuelo Ponde de Sena e do jornalista Evandro Matos, que defendem a preservação da leveza, da inocência e da simplicidade da festa; ora publicando textos e imagens alusivas às comemorações.  

Mas, o mais confortável de tudo foram os resultados das duas enquetes que nós fizemos. Na primeira, perguntamos: “Você é contra ou a favor da inclusão dos ritmos axé e pagode na programação junina?”. Resultado: a favor (14,06%), contra (76,56) e quanto faz (9,38%); Na segunda, perguntamos: “Para você, qual a melhor festa, carnaval ou São João?”. Resultado: carnaval (4,62%), São João (90,77%) e as duas (4,62%). Os resultados mostram, de longe, que as teses defendidas por Evandro Matos e Consuelo Pondé estão completamente sintonizadas com a maioria esmagadora da população.    

E para a despedida dos festejos juninos deste ano, nada melhor do que um show de imagens, que mostraremos durante estes dois dias, revelando um pouquinho da realidade baiana.

Evandro Matos

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: