Política

Especial – Ciro quer a Presidência

O deputado federal Ciro Gomes cumpriu uma agenda agitada durante esta segunda-feira (6) em Salvador. Além do almoço com os prefeitos do PSB, ele visitou o governador Jaques Wagner, concedeu entrevistas a emissoras de rádio e fez palestra na Associação Comercial.

O seu primeiro compromisso foi um almoço com a cúpula estadual do PSB, formada pela deputada federal Lídice da Mata, o secretário estadual Domingos Leonelli, o ex-deputado Sergio Gaudenzi, o deputado Capitão Tadeu, o presidente do diretório municipal Celsinho Cotrim, além de prefeitos, vice-prefeitos e lideranças do interior. Antes, Ciro concedeu entrevistas às emissoras de rádio e outros veículos de comunicação da capital baiana.

 

Na sua chegada ao restaurante no Terreiro de Jesus, Ciro falou para este Portal, comportando-se como um presidenciável. Primeiro, ele falou com os prefeitos que já o aguardavam e, depois, respondeu a várias perguntas sobre a sua possível candidatura ao Palácio do Planalto em 2010. “Eu desejo bastante ser (candidato). Já fui governador duas vezes, prefeito, ministro, ajudei a fazer o Real, acumulei experiência e tenho muita vontade de servir ao meu país como presidente”, disse Ciro.

 

Contudo, o socialista admitiu que tudo vai depender do seu partido e das conversas que deverão acontecer no futuro. “Eu conto com o apoio do meu partido, mas ninguém é candidato de si próprio. Estamos andando pelo país tentando construir esse projeto”, disse. Questionado sobre a opção presidente Lula pelo nome da ministra Dilma Rousseff, Ciro falou que Lula tem agido corretamente para evitar um racha dento do PT e admitiu que ainda é cedo para qualquer definição. “Lula é meu amigo e ele fez um trabalho brilhante ao antecipar o debate para evitar um racha do PT”, justificou.

 

Contudo, o presidenciável lembrou de fatos como se quisesse cobrar alguma retribuição do presidente Lula. “Em 2006, na hora dura e difícil, eu não fui candidato para assumir a linha de frente”, comentou, referindo-se ao escândalo do Mensalão que quase ameaçou o projeto de reeleição de Lula. “Mas, nós do PSB, vamos discutir fraternalmente. Não vou brigar com ninguém para ser candidato”, ponderou. “Agora, o que me preocupa para o futuro, sem Lula, é que essa coligação do PT com o PMDB pode trazer graves consequencias ao país”, advertiu.

 

Ciro falou ainda sobre a crise do Senado e isentou o presidente Lula por ele ter defendido a permanência de Sarney. “O presidente Lula definiu que é melhor com o Sarney do que sem ele. Então, ele sabe os motivos que o levaram a isso”, explicou. Contudo, Ciro condenou os métodos do PMDB e disse que agiria diferente se assumisse o comando do país. “Posso governar com qualquer um, mas imporia uma hegemonia moral completamente diferente”, admitiu. Ele disse que sempre agiu assim “com quem quer que seja”, e citou como exemplo desavenças que já teve com o ex-senador ACM. “Quando precisei brigar com o senador Antônio Carlos Magalhães, que era meu amigo, eu briguei. Então, não tem isso”, argumentou.  

 

O deputado também negou as especulações da imprensa de que será candidato ao governo de São Paulo. “Estou me preparando para ser candidato à Presidência da República”, respondeu. “Isso me honra muito, mas como nunca esteve nos meus planos, eu continuo seguindo o meu caminho”, explicou. “Em 2006, a imprensa também me colocava como candidato ao governo do Rio de Janeiro”, comparou.

 

Encontro com Wagner e palestra

 Depois do almoço, Ciro Gomes se dirigiu para a governadoria, no CAB, onde foi fazer uma visita da cortesia ao governador Jaques Wagner (PT) juntamente com a cúpula do PSB baiano. O parlamentar negou que fosse tratar de política ou fazer qualquer pedido em defesa do nome da deputada federal Lídice da Mata na chapa majoritária governista visando as eleições de 2010. “A companheira Lídice adquiriu uma experiência e conhecimento tão grande que ela é merecedora dessa postulação”, disse Ciro, negando que iria conversar com Wagner sobre o assunto. “Se ele falar, eu falarei, mas não cometeria uma indelicadeza dessas”, desconversou. 

 

A deputada Lídice da Mata também negou qualquer pressão e defendeu que o PSB apenas estava discutindo o seu plano eleitoral para as próximas eleições. “Nós estamos organizando um debate com a sociedade. Como é que vai ser no futuro, só Deus é quem sabe”, explicou. “Estamos construindo um caminho para começar uma discussão sobre uma candidatura ao Senado”, reforçou.

 

Lídice também comentou a vinda do deputado Ciro Gomes á Bahia e, como todos os prefeitos e lideranças presentes, disse que vê com bons olhos a sua postulação à Presidência da República em 2010. “O PSB vê com bons olhos o nome de Ciro, mas o partido ainda não tem uma posição sobre isso”, comentou a parlamentar. “Mas é uma satisfação ter o nome de Ciro para a Presidência”, completou.

 

No final da tarde, após visitar o governador Jaques Wagner, Ciro Gomes fez uma palestra na Associação Comercial, no Comércio, sobre a crise econômica mundial e os seus reflexos na economia brasileira. O evento foi bastante concorrido, com os espaços tomados principalmente por empresários e os filiados do PSB. Depois da palestra, houve um coquetel.

Evandro Matos

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: