Polícia

Interior adere a protestos sobre perito

Policiais do interior do Estado aderiram à paralisação dos colegas da Capital em protesto contra a morte do perito Hilton Martins Rivas, de 25 anos, assassinado brutalmente por policiais militares na última quarta-feira (29).

Os policiais das delegacias de Feira de Santana, Itabuna e Ilhéus, no interior do estado, aderiram ao movimento de paralisações deflagrado pelos policiais civis de Salvador ontem (30) e que continuam se estendendo até hoje (31), em protesto pela morte do perito técnico Hilton Martins Rivas, baleado durante uma abordagem da Polícia Militar.

De acordo com o secretário geral do Sindpoc, Bernardino Gayoso, os policiais só retornarão ao serviço quando o tenente da Polícia Militar Fagner Passos Santos se apresentar à 2ª Delegacia (Lapinha), responsável pelas investigações do caso.

Fagner é acusado de ser o responsável pelos disparos que vitimaram Hilton. Após o ocorrido, o PM foi conduzido para a 2ª DP, onde prestou depoimento e foi liberado logo em seguida.

O fato gerou revolta aos policiais civis, que exigem a prisão e apresentação do PM. Ainda hoje pela manhã, na cidade Salvador, policiais civis protestaram mais uma vez. Eles seguiram em carreata da Avenida ACM até Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB).

O movimento da polícia civil tem o apoio dos delegados, dos escrivães e do Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc).

Apuração rigorosa

De acordo com o secretário, o inquérito deve ser concluído em 40 dias. Os investigadores reúnem provas colhidas pela perícia e depoimentos das testemunhas que serão ouvidas pelos responsáveis pelo caso. Os indícios serão reunidos e encaminhados para o Ministério Público estadual (MP/BA).

To Top
%d blogueiros gostam disto: