História

Romaria leva multidão a Bom Jesus

Capital baiana da fé. É assim que o município de Bom Jesus da Lapa é conhecido na Bahia e no Brasil. A cidade, situada na região oeste, concentra a segunda maior festa religiosa católica do país, que durante o mês de agosto atrai milhares de devotos a romaria do Bom Jesus.

Distante a 902 km de Salvador, a cidade tem mais de 63 mil habitantes, conforme o IBGE. Banhada pelo rio São Francisco, o lugar tem na agricultura, no comércio, turismo e pesca suas atividades econômicas mais fortes.

A cidade de Bom Jesus da Lapa começou sua existência à sombra do Santuário do Bom Jesus. Por volta de 1691, o português Francisco Mendonça Mar chegou ao lugar, onde havia entre o morro e o rio São Francisco, apenas algumas palhoças de índios Tapuias. Mas, com o tempo, foram agregando-se devotos que resolveram fazer sua moradia perto dali, onde se achava a imagem do Bom Jesus. Francisco Mar construiu junto ao santuário, um hospital e um asilo para os pobres e doentes – dos quais cuidava. Assim, começou crescer ao lado da lapa do Bom Jesus, um povoado, assumindo o mesmo nome de Bom Jesus da Lapa.

Gruta de Pedra

Graças às constantes peregrinações que se transformaram em grandes e permanentes romarias de fiéis ao santuário, o povoado foi se desenvolvendo, transformando-se em vila em 1870, atingindo a categoria de cidade em 1923 e chegando a ser município em 1953 para a alegria de todos os seus moradores e admiradores. O Santuário do Bom Jesus da Lapa é um dos mais antigos no Brasil, e funciona numa gruta de pedra descoberta a mais de 300 anos por Francisco Mendonça Mar, que era pintor e artista plástico, contratado pelo governador geral do Brasil na Bahia para pintar o Palácio da Aclamação, então sede do governo.

No entanto, ao invés de receber pelo trabalho, foi jogado na prisão com seu escravo e açoitado. Quando solto, decidiu deixar a cidade do Salvador e levou consigo as imagens de Jesus Crucificado e Nossa Senhora da Soledade. Após andar muitos meses, achou abrigo na gruta onde colocou as duas imagens. No período dos garimpos de ouro em Minas Gerais, os garimpeiros passavam perto da gruta e viam a luminosidade das velas que ele acendia, e assim foi se formando as romarias.

Maravilha do Brasil

O Santuário de Bom Jesus da Lapa foi escolhido como o primeiro representante das sete Maravilhas do Brasil, num concurso on-line através do site www.7maravilhasbrasil.com.br, que envolve 50 pontos turísticos no espaço geográfico brasileiro, incluindo o Cristo redentor, o Pão de Açúcar, o santuário de Aparecida do Norte, o Maracanã, a estátua de Padre Cícero, o santuário do Caraça dentre outros. Na Bahia, a capital baiana da fé concorreu com o Forte São Marcelo, o Farol da Barra, a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco, as ruínas do Castelo da Torre de Garcia D’Ávila, a Igreja e Convento de São Francisco e ainda o Elevador Lacerda.

Por entre uma vasta planície do sertão baiano, na microrregião do Médio São Francisco, à sua margem direita, surge um imponente e vistoso bloco de granito e calcário cheio de grutas e fendas estreitas. É o morro da Lapa. O território do município é quase todo plano, surgindo, de vez em quando, no meio das planícies ou tabuleiros alguns montes, de feições típicas, muito interessantes. O principal deles é o morro da Lapa, com suas inúmeras grutas.

Terra de Oração

Bom Jesus da Lapa é terra de oração. Daí vem sua importância como centro religioso. Anualmente por lá passa uma procissão de pobres e de ricos. Todos querem neste Santuário falar com Jesus, apresentar-lhe seus agradecimentos e pedidos. Muitos trazem dores terrestres e levam consolações celestes, outros vêm atormentados pela consciência dos pecados e misérias, e voltam aliviados pela graça do perdão e da paz.

A devoção ao Senhor Bom Jesus, está enraizada no coração do povo brasileiro. Quantos sentem seu coração oprimido de desgostos e tristezas, e aos pés do Bom Jesus, sua aflição muda-se em tranquilidade e conforto. Ajoelhados diante do altar ou mesmo sentados nos bancos, olhos fitos na imagem que representa o Salvador da humanidade. Contam-lhe com íntima confiança, muitas vezes entre lágrimas, suas aflições e seus agradecimentos. Pela santa confissão, os penitentes transformam-se em verdadeiros amigos de Deus, reconciliando-se com o Senhor. Por todo recanto, cada retrato, cada monóculo, cada vela acesa ou depositada, cada fita ou cabelo, representam graças recebidas. São hinos de ação de graças ao Bom Jesus e provas de graças alcançadas.

A gruta do Senhor Bom Jesus, com 50 metros de comprimento, 15 de largura e 07 de altura, é a mais venerada

A cidade concentra a maior festa religiosa católica do Brasil, em agosto, conhecida como a procissão do Bom Jesus

Bom Jesus da Lapa é terra de oração. Daí vem sua importância como centro religioso. Anualmente por lá passa uma procissão de pobres e de ricos. Todos querem neste Santuário falar com Jesus, apresentar-lhe seus agradecimentos e pedidos.

A alma religiosa do povo brilha com mais intensidade quando, no dia seis de agosto, acontece a Festa do Bom Jesus. Um espetáculo emocionante e inesquecível. Nesse dia são realizadas missas, confissões e procissões. Logo às oito horas é concelebrada a Missa da Manhã por todos os sacerdotes, religiosos e pelo Bispo da Diocese. Os romeiros enchem e superlotam a esplanada e a praça.

Ascom UPB

To Top
%d blogueiros gostam disto: