Justiça

Famoso caso de assassinato em Juazeiro tem denúncia oferecida pelo MP

PMs e empresário de Juazeiro são denunciados por assassinato encomendado em 2002.

Três anos após “ceifarem de modo brutal” a vida de Sandro Luiz Alves Nunes e Luciana Maria Rodrigues dos Santos, motivados por uma recompensa de R$ 3 mil, os policiais militares Aderivaldo Santos Diogo, José Edmilson do Nascimento e Edmilson Quirino da Silva são denunciados pelo promotor de Justiça Rildo Mendes de Carvalho à Justiça. Segundo o representante do Ministério Público estadual, o assassinato, contratado pelo empresário Lourival Gama da Conceição, também denunciado, aconteceu no município de Juazeiro em março de 2002, após Sandro se negar a ter um relacionamento homoafetivo com o empresário, que é proprietário de postos de combustível, loja de revenda de veículos e supermercado.

Representante comercial de sandálias, Sandro Nunes conheceu o proprietário do supermercado, Lourival Conceição, durante uma transação comercial para revenda do produto em seu estabelecimento. Desde então, explica o promotor de Justiça, surgiu uma relação de cordialidade entre os dois, tendo a vítima sugerido, inclusive, que a família de sua namorada Luciana Santos passasse a fazer as compras mensais no supermercado de Lourival. Ocorre, entretanto, que, nesse entremeio, o representante comercial passou a ser assediado pelo empresário. As insistentes cantadas e assédio de Lourival, lembra Rildo Mendes, levaram Sandro a se queixar com o seu irmão, confidenciando-lhe, inclusive, que o empresário se propôs a bancá-lo e que, logo que Lourival soube do seu noivado com Luciana, passou a ameaçá-lo, “sempre afirmando que ele noivou, mas não se casaria!”.

Do noivado, em dezembro de 2001, ao assassinato, em março 2002, passaram-se pouco mais de dois meses de ameaças freqüentes às duas vítimas, recorda o promotor. Durante esse período, continua Rildo Mendes, Lourival continuou a assediar Sandro, mostrando-se inconformado com a negativa do representante em se relacionar homoafetivamente com ele, que contratou os PMs para “realizarem o serviço sujo, que lhe custou R$ 3 mil”. Assim, no dia 13 de março, o PM Edmilson Silva, vulgo “China”, abordou as vítimas em emboscada, pedindo-lhes uma carona, quando foi prontamente atendido. No trajeto, os outros dois PMs adentraram no veículo e conduziram Sandro e Luciana para uma estrada vicinal, que liga Juazeiro a Sobradinho, onde, após estuprarem Luciana Santos, assassinaram ela e seu noivo. Na denúncia, o promotor de Justiça registra que, desde que a investigações do crime foram iniciadas, os policiais passaram a intimidar as famílias das vítimas, chegando Lourival Conceição a mandar um cunhado à casa da mãe de Luciana para levar um recado intimidativo, dizendo que ela fosse à imprensa negar a participação dele no crime.

Fonte: Ministério Público

To Top
%d blogueiros gostam disto: