Polícia

Itamaraju – Crianças passam mal após comerem bombons

A grande suspeita é de que os bombons estivessem envenenados. As duas crianças ficaram em estado grave e seguem internadas no hospital.

Uma senhora de prenome “Lene” esteve nesta quinta-feira, 1º/10, na casa de Rosilene Pereira da Silva, 27 anos, moradora na rua Amilton José Alves, 77, bairro Novo Prado, região oeste de Itamaraju, fazendo uma visita. Depois de muita conversa Lene ofereceu alguns bombons para os dois filhos de Rosilene e, após as crianças comerem as guloseimas, houve uma estranha reação biológica com as crianças.

O filho de Rosilene saiu comendo os bombons de sua casa em direção à rua, quando foi encontrado por populares, suando bastante, com secreção na boca e aparentemente tentando fazer necessidades fisiológicas. O desespero foi tamanho que os próprios moradores prestaram socorro para a criança. O mais estranho que no mesmo instante que o menino era socorrido, a sua irmã de 10 anos que também comeu os bombons, desmaiou. 

O socorro foi prestado imediatamente quando os dois foram levados para o Hospital Geral de Itamaraju (HGI). Após os primeiros atendimentos médicos a equipe médica de plantão achou por bem encaminhar as duas crianças de 06 e 10 anos de idade para o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas (HMTF). As últimas informações dão conta que os irmãos permanecem internados no HMTF e o estado de saúde das duas crianças ainda inspira cuidados.

Os conselheiros tutelares Jair e Irismar estão acompanhando o caso. Rosilene diz que conheceu “Lene”, a senhora que ofereceu os bombons para as crianças, há muito tempo e só agora veio receber uma visita dela. Perguntada pelos conselheiros se ela conhecia a casa de “Lene”, ela informou que não.

A mãe das crianças, Rosilene Pereira da Silva, 27 anos, informou ainda que a mulher de prenome “Lene”, quando ainda estava em sua casa, ajudou a dar banho nos seus filhos, e mais tarde ofereceu os bombons aos dois.

A Polícia Civil de Itamaraju deve instaurar um inquérito policial para apurar a ocorrência. A partir de agora são aguardados os resultados dos exames feitos nas duas crianças, pois é grande a suspeita de envenenamento.

O maior desafio para a polícia, caso fique provado o envenenamento, é descobrir se houve uma ação intencional ou se os organismos das crianças possuem alguma resistência ao chocolate ou derivados.

Com informações do Teixeira News

To Top
%d blogueiros gostam disto: