Polícia

Policias Civil e Militar vão assumir segurança de aldeias

Três índios foram assassinados em Santa Cruz Cabrália na última semana. A suspeita é de que eles tinham ligação com o tráfico de drogas.

As polícias Civil e Militar devem fazer a segurança provisória da comunidade indígena de Coroa Vermelha, em Santa Cruz Cabrália (a 727 km de Salvador, extremo sul do Estado). É o que propõe o Ministério Público Federal após o assassinato de três índios da aldeia em menos de uma semana. A medida é uma forma de compensar a extinção da guarda indígena enquanto a Polícia Federal e a Funai (Fundação Nacional do índio) não podem assumir a segurança de Coroa Vermelha.

A determinação de que a PF e a Funai deveriam substituir a guarda indígena (formada por índios) foi tomada pela Justiça Federal de Eunápolis há três meses. No entanto, como o prazo para a mudança é de um semestre, a Fundação e a PF ainda têm três meses para dar início ao trabalho.

De acordo com informações da delegacia local, os índios assassinados estariam  devendo a traficantes. Eles também teriam praticado pequenos furtos na aldeia. Porém nenhum dos rapazes têm passagem pela polícia. Parentes dos índios deram depoimento ontem na delegacia e negaram que eles fossem usuários de drogas ou cometessem roubos.

O chefe da Funai disse que haverá uma reunião segunda-feira, entre representantes da Polícia Civil, da PM, da PF, da Funai e do Ministério Público Federal para definir como será feita a segurança da aldeia de Coroa Vermelha, hoje composta por mais de 5 mil pessoas.

Leia mais no A Tarde.

To Top
%d blogueiros gostam disto: