História

Enquete – Para internauta Raul é mito

A última enquete postada neste Portal, que perguntou o que o polêmico cantor e compositor Raul Seixas representou para o nosso internauta/leitor, trouxe uma conclusão que já era esperada, principalmente por aqueles que admiram a obra deste genial artista baiano.

Confira, abaixo, o resultado da enquete e curta um pouco a letra de “Meu amigo Pedro”, uma das pérolas de Raulzito.

Pergunta:

No último dia 21 de agosto completou 20 anos da morte de Raul Seixas, um dos artistas mais polêmicos da música brasileira. Para você, Raul representou:

Respostas:

 

A opção 01 “Um mito, pelas belas canções e o jeito irreverente de ser”, obteve 33 votos, o equivalente a 73,33% do total; a opção 02 “Não o conhecia, mas passei a admirá-lo depois da sua morte”, obteve 03 votos, representando 6,67% das indicações;

Na opção 03 “O que mais impressiona é o crescente número dos seus fãs”, obteve 05 votos, correspondendo a 11,11% do total de votantes; e a opção 04 “Ele foi um cantor como outro qualquer”, obteve 04 votos, o equivalendo a 8,89% do universo que participou da enquete.

O resultado mostra que a maioria esmagadora (73,33%) considera Raul um mito. Por outro lado, somando-se todas as opções positivas anotadas pelo internauta, 91,11% admiram o artista, enquanto apenas 8,89% consideram-no um artista como outro qualquer.  

Meu Amigo Pedro

Composição: Raul Seixas / Paulo Coelho

Muitas vezes, Pedro, você fala
Sempre a se queixar da solidão
Quem te fez com ferro, fez com fogo, Pedro
É pena que você não sabe não

Vai pro seu trabalho todo dia
Sem saber se é bom ou se é ruim
Quando quer chorar vai ao banheiro
Pedro! as coisas não são bem assim

Toda vez que eu sinto o paraíso
Ou me queimo torto no inferno
Eu penso em você, meu pobre amigo
Que só usa sempre o mesmo terno

Pedro, onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou

Tente me ensinar das tuas coisas
Que a vida é séria, e a guerra é dura
Mas se não puder, cale essa boca, Pedro
E deixa eu viver minha loucura

Lembro, Pedro, aqueles velhos dias
Quando os dois pensavam sobre o mundo
Hoje eu te chamo de careta, Pedro
E você me chama vagabundo

Pedro, onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou

Todos os caminhos são iguais
O que leva à glória ou à perdição
Há tantos caminhos tantas portas
Mas somente um tem coração

E eu não tenho nada a te dizer
Mas não me critique como eu sou
Cada um de nós é um universo, Pedro
Onde você vai eu também vou

Pedro, onde você vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou

É que tudo acaba onde começou
Meu amigo Pedro

Por Evandro Matos

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas