Política

Itamaraju: mulher diz que envenenou crianças sem querer

Segundo ela, o chumbinho foi colocado para envenenar o pai das crianças, por vingança. Ele teria batido o portão na sua cara.

Após intensas investigações, a Polícia Civil de Itamaraju conseguiu prender Erlene Souza dos Santos, a “Lene”, 36 anos de idade, acusada de dar bombons envenenados a duas crianças na cidade. A mulher foi presa quando chegava em casa nesta quinta-feira (08).

Erlene Sousa dos Santos, 36 anos, a “Lene”, assim que foi detida e levada para a Delegacia da Polícia Civil de Itamaraju, solicitou a presença do seu advogado. Ele alegou perante o delegado Gean Nascimento, titular da Polícia Civil de Itamaraju, que a sua cliente possui problemas mentais e que ela mesma relatou que as guloseimas envenenadas não seriam para as duas crianças e sim para o pai das mesmas.

O advogado Rildo Alves apresentou laudos médicos, várias receitas de remédios “tarja preta” e receitas, com prescrições de Diazepan e Cronozepan, medicamentos controlados para tratamento de pacientes com distúrbios neurológicos e psicológicos.

Erlene disse na presença do seu advogado que a intenção de dar os bombons envenenados com chumbinho era para Claudionor dos Santos, o pai das crianças, pois ela estaria revoltada porque ele bateu o portão de sua casa na sua face. “Eu fiquei indignada, revoltada, por isso coloquei chumbinho nos bombons e no refrigerante para ele”, disse Erlene. 

A mulher contou que quando deixou os bombons e o guaraná para Claudionor consumir, as crianças pegaram as guloseimas antes, se envenenando. “Eu fiquei em desespero total porque os bombons não eram para seus filhos e sim para Claudionor. Quando percebi que deu errado eu resolvi fugir naquele momento”, relatou friamente a mulher.

O delegado Gean Nascimento, titular da Polícia Civil de Itamaraju, ainda não informou qual será o procedimento legal a ser adotado frente ao inquérito policial do caso, já que, mesmo a mulher apresentando desequilíbrio mental, ficou caracterizado o cometimento do crime. A hipótese mais provável é que ela seja indiciada por tentativa de homicídio e se ficar provada a sua incapacidade mental, a autoridade policial pode pedir o seu internamento num manicômio judiciário. Esta medida é normalmente adotada quando o criminoso incapaz representa riscos para as vítimas ou até mesmo para outras pessoas que convivem ao seu redor.

A prisão preventiva de Erlene Souza dos Santos, a “Lene”, 36 anos de idade, deve ser pedida nas próximas horas.

Com informações do Teixeira News

To Top
%d blogueiros gostam disto: