Polícia

Salvador – Juiz dá a sua versão sobre acidente que matou empresário no CAB

O juiz Benedito da Conceição dos Anjos, 62 anos, negou ter feito uma “roubadinha” que ocasionou nesta sexta-feira (16) o acidente em que provocou a morte do empresário Anderson Jorge dos Santos, 31 anos. A batida foi em frente à sede do Tribunal de Justiça da Bahia.

Neste sábado,  o magistrado disse ter a impressão de que a moto conduzida por  Anderson  estava em alta velocidade, no momento da colisão. A versão do juiz já deixa familiares da vítima preocupados, uma vez que eles temem o poder de influência no julgamento do caso.

Testemunhas afirmaram que o juiz pegou o retorno para entrar no estacionamento do TJ-BA, mas, ao invés de seguir alguns metros e entrar na segunda via, fez uma manobra proibida para entrar na primeira. Neste momento, sua caminhonete Toyota Hillux (placa JPE 2618) bateu na moto (JQL 8443), pilotada por Anderson, que guiava em linha reta pela 5ª Avenida do CAB.

O juiz afirma  que  tomou muito cuidado ao tentar acesso à garagem da corte. “A manobra foi absolutamente correta. Trata-se de um retorno oficial, não há nenhuma placa indicativa de que não é permitido, mesmo porque sendo em frente ao Tribunal de Justiça, se não fosse permitido, o Detran ou a SET (Transalvador) já teriam fechado há muito tempo”, declarou.

Após o acidente, Benedito  não foi levado a um hospital, como foi divulgado, e sim ao posto médico do TJ-BA. “Eu não fugi do local, fiquei no prédio do Tribunal até às 18h30”, disse. Apesar disso, as fotos mostram o corpo da vítima, a moto e o carro do juiz abandonados.  

O juiz pode depor nesta segunda ao delegado Augusto Henrique Dias,  responsável pela investigação do acidente. Mas o local e horário são incertos. Quando o inquérito for concluído – o prazo  é de 30 dias –  o caso será levado direto à corte, ao invés de ser enviado a uma vara de primeira instância. Por lei, o juiz Benedito tem foro privilegiado

Com informe do A Tarde Online

To Top
%d blogueiros gostam disto: