Saúde

Faxinaço contra a dengue em Jequié

Cidade se mobiliza contra a proliferação do mosquito Aedes aegypti, causador de 10.589 casos de dengue. Jequié é prioridade para o Estado na luta contra a doença.

Um grande faxinaço, envolvendo as secretarias da Saúde do Estado e Infraestrutura, e a Prefeitura Municipal de Jequié, será realizado em Jequié no período de 20 a 30 de outubro. O objetivo é impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, responsável por 10.589 casos de dengue (1.269 de formas graves, sendo que 10 óbitos). Isso representa um aumento de 1.964% se comparado a todo o ano de 2008, época em foram notificados 513 casos da doença (15 nas formas graves e um óbito).

O município de Jequié, prioritário para o Programa Estadual de Combate à Dengue (PNCD), está localizado no Centro Sul Baiano, tem 3.035,42 km2, 150.541 habitantes (49 hab/ km2), 63.573 imóveis (4.181 rurais). A área urbana do município possui uma rede de canais aberto para escoamento de esgoto, que convergem em um grande canal que divide longitudinalmente a sede do município. 

A equipe do Departamento de Infraestrutura de Transportes da Bahia (Derba) realizou estudo técnico da situação ambiental e indicou “faxinaço” de limpeza com a finalidade de impedir o avanço da doença, por meio da remoção de qualquer tipo de objeto que possa acumular água e que venha a se tornar um potencial criadouro do mosquito. Estão previstas a limpeza dos canais de drenagem de água pluviais, de aproximadamente 3 km, da calha do Rio Jequiezinho, vias e diversos bairros que acumulam detritos. O Derba disponibilizará um trator de esteira, uma motoniveladora, uma pá carregadeira e uma retroescavadeira para a realização dos serviços.

O Exército enviará hoje (19) um contingente de 40 homens que participaram da capacitação promovida pelos técnicos da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep), nos dias 14 e 15. A equipe militar vai auxiliar no trabalho de prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti, junto à população, identificando possíveis criadouros do vetor, eliminando depósitos e colocando telas em reservatórios d’água, além de promover ações educativas.

O consultor PNCD no Ministério da Saúde, Aguinaldo Orrico, finalizou um estudo para o diagnóstico entomológico e epidemiológico do município onde já foram identificadas as áreas de maior risco, também chamadas de “áreas quentes” a exemplo das casas ao entorno do Cemitério São João Batista, Bairro Joaquim Romão, Caixa D’Água e a localidade denominada de Invasão. Esse estudo começou no início deste mês. Segundo ele, é preciso frustrar o sucesso reprodutivo do mosquito da dengue, dificultando seu contato com os depósitos de água.

Conforme os técnicos, em Jequié os depósitos utilizados para o armazenamento de água para consumo humano nos domicílios representam os mais importantes criadouros do mosquito. De cada 100 depósitos encontrados com larvas do vetor da dengue, cerca de 80% são depósitos classificados no PNCD como A1 e A2 (tanques, tonéis, tinas e outros, utilizados para armazenar água nos imóveis).

Além de representarem o maior número absoluto de criadouros, tais depósitos também representam aqueles com maior risco, evidenciados tanto pela maior probabilidade de estarem focados, quanto pela quantidade de insetos adultos que é capaz de produzir.

Com informações da Sesab

To Top
%d blogueiros gostam disto: