Política

Ciro reafirma sua posição de aliado

Ciro destaca a posição privilegiada que tem agora, mas lembra que muita coisa pode mudar na articulação política.

O deputado federal cearense Ciro Ferreira Gomes (PSB), um dos presidenciáveis das eleições 2010, disse ontem que não pedirá, por não achar justo, o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à sua possível candidatura à Presidência da República. Embora queira ser considerado com um dos colaboradores do atual Governo, Ciro disse entender como legítimo o desejo do presidente de construir um nome do seu partido para a sucessão presidencial.

As declarações do parlamentar foram na oportunidade em que ministrou palestra, na manhã de ontem, sobre Sustentabilidade, na Universidade de Fortaleza (Unifor). Após participar da caravana presidencial que visitou as obras de transposição de águas do Rio São Francisco, o parlamentar considera que o atual momento é de “teste” para aqueles que estão colocados como pré-candidatos e comparou os presidenciáveis a um carro de corrida do tipo Fórmula 1.

“É como se fosse os treinos livres da Fórmula 1. Cada carro entra na pista meio sozinho, mas você ver se o carro é competitivo ou não. Daqui a pouco tem a fase do gride de largada para marcar os tempos. Nessas duas fases eu estou muito bem”, disse o deputado cearense, sobre uma possível candidatura sua dentro da base de apoio ao presidente Lula.

Articulação

Ciro disse considerar, embora esteja otimista pelo seu posicionamento nas pesquisas de opinião, que em 2010, quando se aproximar o período pré-eleitoral, muita coisa deverá mudar em termos de articulação política e as candidaturas da base do Governo e da oposição já vão estar mais claras. Nessa oportunidade, pelo que disse, será mais fácil dizer quem será mais competitivo para a disputa.

Mesmo se considerando um admirador e aliado do presidente Lula, o parlamentar pondera, no entanto, que mesmo tendo o desejo de ser candidato a presidente, não acha justo pedir o apoio de Lula. “O presidente Lula é uma referência para todos os brasileiros. Eu não creio que seja justo pedir a ele que não apoie um candidato do seu partido. Eu não sou do PT e se ele apoiar um candidato do PT está de bom tamanho”, disse

A sua batalha, pelo que afirmou, é no sentido de ser reconhecido como um aliado do presidente. “Eu tenho que ser, e é legítimo que sim, identificado como uma pessoa que ajudou na construção do projeto que o Lula representa”, disse.

Embora esteja neste momento com o seu domicílio eleitoral no Estado de São Paulo, devido articulações políticas, Ciro Gomes afirma que o povo cearense saberá reconhecer o trabalho de “uma vida” feito por ele. “O povo cearense sempre foi generoso comigo. Fui candidato a presidente por duas vezes, ganhei as duas. Mesmo em 2002 com todos os meus erros o povo cearense me absorveu e me deu a vitória”, enfatizou.

To Top
%d blogueiros gostam disto: