Cultura

Crianças pobres do sertão conhecem o cinema e Rodin

Crianças de dois povoados de Conceição do Coité irão visitar o cinema, além de conhcer de perto a obra de Rodin.

Um dia inteiro de muitas aventuras e fortes emoções culturais. Assim será a próxima quinta-feira, 12 de novembro, para um grupo de 42 crianças pobres que moram no sertão da Bahia e que, pela primeira vez, visitarão Salvador e terão a oportunidade de ir ao cinema, como sempre sonharam, e de ver de perto a obra do mestre da escultura contemporânea Auguste Rodin (1840-1917).

São crianças que possuem entre 9 e 13 anos de idade e que residem nas localidades de Salgadália e Onça, no município de Conceição do Coité, a 217 quilômetros da capital baiana. A iniciativa, chamada de projeto Olho Mágico, é da Associação dos Amigos de Conceição do Coité, entidade sem fins lucrativos que há mais de 3 anos desenvolve ações educativas, culturais e sociais voltadas para as crianças. Para trazer os 42 “aventureiros” ao cinema e à exposição das obras do escultor no Palacete das Artes Rodin Bahia o projeto conta com o apoio da Faculdade Dom Pedro II, da Orient Filmes e da UCI Orient Shopping Paralela.

O objetivo é promover uma experiência cultural e educativa inédita na vida dos “aventureiros”, selecionados por suas respectivas escolas com base no desempenho em classe. Eles, que virão acompanhados de professores, irão assistir ao filme “Os fantasmas de Scrooge”, na sessão das 14h35, no cinema do Shopping Paralela. Antes, terão a oportunidade de conhecer o mar, na praia de Ondina, e conhecerão pontos turísticos da capital baiana num rápido passeio de ônibus. Às 17h, visitam a exposição do mestre Rodin. “Há muito tempo essas crianças esperam por essa data, pois para eles a magia do cinema é algo desconhecido e misterioso. Além disso, eles também terão a oportunidade de conhecer mais sobre arte. Vale lembrar que muitos deles sequer conhecem Salvador”, afirmou Nilda Ribeiro de Almeida, que integra a Associação dos Amigos de Conceição do Coité.

Para o diretor da Faculdade Dom Pedro II, professor Luiz Brandão, a iniciativa é importante para o aprendizado da garotada. “Sempre apoiamos projetos como esse porque sabemos como é importante que os estudantes também aprendam com as experiências fora da sala de aula. Isso é importante para estimular a formação acadêmica e também a cidadania desses jovens estudantes”, salientou.

To Top
%d blogueiros gostam disto: