Economia

Governo propõe a criação de câmara setorial para o segmento atacadista

Governador apresentou proposta durante evento do setor a empresários. O objetivo seria discutir os vários pontos de interesse de forma conjunta.

Durante palestra ministrada, neste sábado (14), no Iberostar Hotel, em Praia do Forte, o governador Jaques Wagner propôs aos empresários atacadistas (supermercados e distribuidores) a criação de uma câmara setorial. O objetivo da iniciativa seria discutir em conjunto – governo e empresários – os pontos de interesse para o crescimento do setor, como a carga tributária e o combate a sonegação fiscal.

Intitulada Perspectivas da Economia para 2010, a apresentação conduzida por Wagner integrou a programação do 33º Encontro Baiano de Supermercados e 7º Encontro de Distribuidores Atacadistas da Bahia. O evento terminou ontem (15), reunindo cerca de 400 empresários e representantes de marcas como Perdigão, Skol, Pepsico, Ambev, Vitarela, Schincariol, Unilever e Adams.

“Tenho todo o interesse de fortalecer o segmento de supermercados e atacadistas da Bahia, por meio da busca de saídas consensuadas”, afirmou Wagner, reconhecendo a centralidade atual dos setores na economia baiana que, em 2009, foram responsáveis por 17% dos empregos gerados no estado e por 12% do Produto Interno Bruto (Pib).

Ao longo da palestra, o governador ressaltou que a Bahia vive um momento de “recuperação da economia”, assim como todo o país, apresentando um crescimento variável entre 1,2% a 1,5%. “Para 2010, esperamos um crescimento em torno de 4.0 a 4.8%”. Destacou, ainda, a geração de mais de 54 mil empregos neste ano, espalhados não só pela RMS, mas por todo o interior baiano.

“E o setor de supermercado é um dos que mais gera empregos pelo interior, contribuindo com o desenvolvimento equilibrado da Bahia”, disse.

Diante disso, Wagner enfatizou a construção contínua de uma relação de parceria e transparência com os empresários, para que todos estejam preparados para 2010. “A expectativa é que o setor tenha um 2010 melhor que o 2009, já que a economia baiana certamente crescerá ainda mais”, observou o governador, lembrando que algumas medidas foram e estão sendo adotadas para alavancar o segmento, como a redução do ICMS.

Na avaliação do presidente da Associação Baiana de Supermercados (Abase), Teobaldo da Costa, os incentivos estaduais contribuíram para que o segmento resistisse a crise econômica mundial. “Não conhecemos a crise. Geramos mês a mês mais empregos, mais renda e mais arrecadação de impostos. Com o apoio cada vez maior do Estado, vamos seguir na construção de uma Bahia mais forte”.

Informações da Agecom

To Top
%d blogueiros gostam disto: