Polícia

Moradores protestam contra sumiço de menina no distrito de Humildes, Feira

Moradores do distrito de Humildes, em Feira de Santana, realizaram uma manifestação na manhã desta quarta-feira (3) pelas ruas do centro para cobrar agilidade na investigação do desaparecimento de Leandra Figueiredo dos Santos, 12 anos.

Ela foi vista pela última vez no dia 18 quando conversava com uma conhecida na praça do distrito. A família acredita que a garota tenha sido levada por uma mulher, chamada Nice, que segundo eles, é profissional do sexo. O conselho tutelar acompanha o caso.

“Ela veio para a escola e não pode entrar porque estava de chinelo. Ela saiu e uma colega viu quando estava conversando com a mãe de uma amiga. Depois, ela desapareceu”, contou a irmã, Simone Figueiredo.

José Carlos Oliveira, diretor do Colégio Estadual Padre Henrique Alves Borges, onde a garota estudava, informou que a menina não quis entrar na escola e que havia revelado a uma colega de classe que iria fugir.

“Ela chamou a amiga para fugir com ela, como a colega não quis ela foi ao encontro da Nice e sua filha na praça. A escola não impediu a aluna de entrar, ela mesma é que não chegou a ir nem ao portão da escola”, frisou.

Os familiares informaram que a mulher com quem a garota foi vista, identificada apenas como Eronice, esteve no dia seguinte ao desaparecimento na casa dos pais da garota e pegou algumas peças de roupa da mesma, saindo correndo.

“Ela aproveitou que só havia meus netos em casa e pegou umas roupas da minha filha, desaparecendo. Só peço que quem esteja com a minha filha a devolva”, falou Luiza Ribeiro, mãe da menina.

O delegado Laércio Santos, titular da 3ª Delegacia, informou que a polícia já instaurou um inquérito para apurar o desaparecimento. Ele ouviu os pais da garota e está à procura da mulher que, segundo ele, era amiga da família. A polícia supõe que ela ainda possa estar com Leandra e pede à população que passe informações sobre o paradeiro de Nice.

Quem souber informações que possam levar ao paradeiro de Leandra Figueiredo pode ligar para o Disque Denúncia pelo 181 ou para a delegacia de Humildes (75) 3683-0190. informações de A Tarde. (Foto: Luiz Tito / Ag. A Tarde).

To Top
%d blogueiros gostam disto: