Saúde

Pais de namorada de jogador feirense vão pedir reconstituição de sua morte

Os pais de Flávia Anay de Lima, 16 anos, que morreu no último domingo, irão solicitar à polícia uma reconstituição da noite em que a adolescente caiu do apartamento onde vivia com o atacante Rafael Silva, da Portuguesa, no 15º andar de um prédio na zona leste de São Paulo.

Segundo Ademar Gomes, advogado contratado pela família para cuidar do caso, o objetivo é fazer justiça. “Pelo histórico do casal, acreditamos que essa morte precisa ser investigada”, afirma.  

Ainda de acordo com Gomes, os pais da adolescente não acreditam na hipótese de suicídio. “Eles me contaram que o rapaz (Rafael Silva) agredia a moça (Flávia) constantemente e que um dia ela apareceu sem um dente na casa deles (em Praia Grande, litoral de SP)”, conta.  

A polícia, inclusive, não descarta a possibilidade de mudança na linha de investigação. A ocorrência foi registrada como “suicídio” no 10º Distrito Policial (Penha), mas o inquérito policial será presidido pela delegada Elizabete Sato, titular da 5ª Delegacia Seccional Leste.  

O caso

Flávia morreu, por volta das 4h do último domingo, após cair do 15º andar do prédio na Rua Lutécia, na Vila Carrão (zona leste de SP). Segundo o advogado de Rafael Silva, Giuseppe Fagotti, ela pulou da janela do imóvel após discutir com o jogador.  

Ainda segundo Fagotti, a briga começou em um bar, onde Flávia teria danificado o carro do atacante com um sapato. Em seguida, diz o advogado, eles teriam voltado para o apartamento onde viviam e ela acabou se jogando.  

A tia da adolescente, Larissa Kisy, que esteve na delegacia na manhã após a morte de Flávia, disse que o relacionamento da sobrinha com o jogador estava conturbado e refutou o suicídio.

“No começo eles se davam bem, muito bem. Mas depois ficou conturbado, porque ele bebia uísque quando não tinha de jogar e começou a ‘pagar’ de solteiro. Ela não se jogou”, disse Larissa.  

Há 20 dias, Larissa disse ter acompanhado Flávia ao 10º Distrito Policial (Penha) para registrar um boletim de ocorrência de agressão. “Ela (Larissa) acabou desistindo após conversar com o Rafael”.  

A polícia já solicitou exames periciais no local da morte de Flávia. À polícia, Rafael Silva disse que morava com a adolescente no apartamento havia seis meses. Informações da Folha de S. Paulo.  

Veja depoimento da mãe da jovem:

http://www.google.com.br/url?q=http://www.youtube.com/watch%3Fv%3DO57ZxdqDVZY&sa=U&ei=ah45TrASw-3SAZeakNoD&ved=0CB4QtwIwAA&sig2=q9PksBFxWp441j1_El1nww&usg=AFQjCNEIjF7o6_evKW804qkjq6ajfXJ4sQ

To Top
%d blogueiros gostam disto: