Interior da Bahia

Saúde

Capela: Prefeito diz que direção se omite sobre municipalização do Hospital São Lucas

HOSPITAL-SAO-LUCAS-CAPELA-DO-ALTO-ALEGRE-NOTICIAS-VR14A prefeitura de Capela do Alto Alegre divulgou uma nota em seu site oficial, afirmando que os gestores  do Hospital São Lucas se omitem sobre a municipalização da instituição.

O assunto vem gerando muitas discussões nas redes sociais e nas ruas da cidade, onde no dia 23,  foi realizada uma audiência pública com representantes  do poder público municipal, cidadãos capelenses, administradores do Hospital e funcionários para discutir o assunto.

O Hospital é gerido por uma associação composta por 15 conselheiros, dos quais 11 estavam presentes na audiência, onde  todos votaram a favor da municipalização e ficou definido que iriam convocar uma assembleia extraordinária para deliberar o parecer final.

Para municipalização a gestão municipal propõe se responsabilizar pelos débitos dos direitos trabalhistas e previdenciários dos servidores, e ficar com a estrutura física da instituição.

A equipe de reportagem entrou em contato com o presidente da Associação para se pronunciar sobre o fato, mas não obteve resposta.

VEJA A NOTA:

Já passaram quase 08 dias da audiência pública convocada pelo prefeito Dr. Nei, para tratar da municipalização do Hospital São Lucas e até agora nenhuma manifestação por parte da Associação. Na ocasião, os 11 conselheiros presentes, todos se manifestaram favoráveis a municipalização, inclusive o presidente da instituição, Antônio de Abílio, o qual ainda alegou que a municipalização seria a única forma de manter o funcionamento da instituição.

Em respeito aos 04 ausentes, já que a Associação é composta por 15 conselheiros, foi deliberado pelos presentes a necessidade de realizar uma Assembleia Extraordinária o mais breve possível, porém desde então nenhum posicionamento sobre a convocação desta Assembleia foi passado para prefeitura. Voltamos à estaca zero.

Para sanar a ausência de médico no município a prefeitura optou por uma medida emergencial, porém não definitiva. Hoje, a Unidade de Saúde Dr. Jaime Fernandes está com médico plantonista, porém não disponibiliza dos recursos necessários para uma unidade de pronto atendimento. Ela não foi construída para este fim.

A prefeitura poderia sim investir e tornar a Unidade um Pronto Atendimento de excelência. Mas tendo em vista que temos uma estrutura no município que requer apenas uma boa reforma, sem citar que se a mesma não for municipalizada irá deixar de funcionar, pois não tem condições de se manter, nem de se adequar perante o Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia – CREMEB, além de correr sérios riscos de ir a leilão público.

Não perderá apenas o município, que deixará de ter um hospital, mas também todos os funcionários que dedicaram suas vidas por mais de 30 anos de serviços prestados, pois estes não receberão seus direitos previdenciários e trabalhistas, tendo em vista que o hospital não tem recursos para efetuar tais pagamentos.

Portanto, senhores responsáveis pela administração do Hospital São Lucas, em nome de todos que levantam a bandeira pela municipalização do Hospital, e por uma saúde mais digna para o nosso povo, solicitamos respostas imediatas e concretas. (Fonte: VR14).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas