Saúde

Riachão: Em sessão tumultuada Câmara aprova concessão do ‘Municipal’ à iniciativa privada

Nesta quinta-feira (13) aconteceu mais uma sessão ordinária na Câmara de Vereadores de Riachão do Jacuípe, com grande público dentro da galeria e na área externa, para protestar contra o projeto de número 0011/2017, que trata sobre a concessão do Hospital Municipal para o setor privado.

O referido projeto, de autoria do prefeito José Ramiro Filho (PSD), foi logo votado em caráter de urgência e urgentíssima sem uma discussão profunda do conteúdo da matéria, por isso causou mais revolta na maioria da sociedade que não acredita em melhoria no atendimento sendo gerido por uma empresa privada.

Os trabalhos foram abertos por volta das 9h30 pelo presidente Antônio Marcos Oliveira Silva e se estendeu até às 12h50, quando houve finalmente a votação do Projeto sem a presença dos vereadores da oposição Robinson Rogério, Lucas Wilian, Antônio Valter, Catarina Roma, Luiz Valdoberto e Gionerio Avelino de Santana. Eles se abstiveram de participar do processo de votação inconformados porque não foram acatados o pedido de suspensão da sessão por alguns minutos para se buscar um diálogo entre as duas bancadas.

Do lado de fora uma multidão acompanhava os pronunciamentos dos vereadores na tribuna, com aplausos para os que reprovaram o projeto e muitas vaias para os edis que se pronunciaram a favor da matéria.

A insatisfação estampada no semblante do povo traduzia a grande revolta da maioria da população jacuipense, que exibiu algumas faixas em protestos com frases como ‘traidores’ e ‘cruéis’, fazendo alusão aos parlamentares que integram a bancada governista acrescentada por Silvestre Nunes (Zil de Barreiros) e José Nivaldo (Ninho Moto Boy), eleitos pela oposição.

A Polícia Militar de Riachão do Jacuípe acompanhou toda sessão e escoltou a saída de alguns vereadores que foram enfrentados por alguns manifestantes contrários ao projeto. O vereador Ninho foi o mais criticado, inclusive com ameaças por parte de populares.

Nesta sexta-feira (14), acontecerá a votação do projeto em segundo turno, em Sessão Extraordinária, agendada para às 09 horas, onde certamente será ratificado o escore dos 7 votos favoráveis ao governo municipal.

Sem votos para impedir a concessão de uso do Hospital Municipal de Riachão do Jacuípe, a oposição promete recorrer à Justiça para tentar embargar a exploração dos serviços em espécie de terceirização com possível taxa adicional para a realização de cada procedimento.

Por Noroel Fernandez

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top