Política

Riachão: Vereadores não comparecem e sessão fica inviável

A sessão da Câmara de Vereadores de Riachão do Jacuípe, nesta quinta-feira (10), ficou comprometida devido às ausências dos edis da base aliada do prefeito José Ramiro Filho (PSD), contando somente com os seis oposicionistas, além do presidente da casa, Antônio Marcos Oliveira Silva (Marquinhos).

A abertura regimental foi realizada de forma atípica, já que não houve a utilização do plenário da Câmara para os discursos democráticos como de praxe ocorre em sessões normais. Na cidade o boato é forte ainda sobre o projeto aprovado pela casa no dia 14 de julho, que autoriza a concessão de uso do Hospital Municipal para o setor privado.

Como a juíza Carla Graziele de Araújo acatou a decisão de mandato de segurança impetrado pelos advogados Doutor Marcelo Guimarães e Doutor Felipe Sales, nesta última terça-feira (08), anulando a votação realizada no mês de julho sob alegação de o projeto se tornar oneroso aos cofres públicos e ser dois terços a obrigatoriedade para aprovação da matéria.

Talvez tenha sido essa a razão para os vereadores Elizeu Machado, Nilton da Chapada, José Nivaldo Cordeiro (Ninho Moto Boy), Adonias Alves, Silvestre Nunes (Zil de Barreiros) e Franklin Santana se ausentarem, comprometendo o andamento dos trabalhos em mais uma sessão ordinária.

À reportagem do Interior da Bahia, o presidente Marquinhos informou que às ausências dos vereadores da bancada situacionista não está relacionada â decisão da Juíza Carla Graziele de Araújo, que acatou o pedido para anular o resultado da sessão que terminou 7×0 à época, com vitória para o governo municipal, mas pelo fato de estar acontecendo outro evento na cidade, paralelo ao horário da sessão.

Por Noroel Fernandez

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top