Cultura

‘Travessias Negras’, de Antônio Olavo, marca mais um ponto na afirmação da identidade negra

Foi lançado no último dia 24 de agosto, no Teatro do ISBA, em Salvador, a série documental “Travessias Negras”, dirigida pelo cineasta baiano Antônio Olavo. Com o teatro completamente lotado, o evento foi marcado pela emoção do público presente, que aplaudiu várias vezes em cena aberta, mostrando uma grande aceitação com mais este trabalho de Olavo no cenário da produção audiovisual baiano.

“Fiquei muito feliz, primeiro pela conclusão de uma obra que afirma a força de uma juventude negra, disposta a afirmar uma identidade, depois pela presença do público, que lotou todos os espaços do Teatro, e por fim pela enorme receptividade das pessoas. Então, foi maravilhoso, estou muito feliz”, disse Olavo à reportagem.

Segundo o diretor, “Travessias Negras é uma serie documental em cinco episódios, que foi feito para a televisão. Então, a partir de setembro ele estará circulando em 235 canais da Rede Pública de Televisão no Brasil inteiro, em TVs educativas, comunitárias e culturais. Aqui na Bahia será transmitido pela TV E (Educativa), nos dias 20 e 27 de setembro, e 4, 11 e 18 de outubro às 21h30. Cada semana haverá a exibição de um episódio inédito”.

Temática sobre o negro

Travessias Negras é mais um trabalho em que Antônio Olavo busca a temática sobre o negro, sempre na perspectiva positiva, o que ele mesmo explica: “A resistência e afirmação do povo negro se dá na política, na cultura, na arte… com esta obra eu busco também contribuir com essa afirmação de uma identidade negra para que ela continue avançando. Esta série reflete uma trajetória de jovens, negros e negras, moradores da periferia, que adentraram as universidades, pelas políticas afirmativas, de cotas, em cursos tidos como nobres. Essa juventude negra está mudando a realidade das universidades na Bahia e no Brasil, e isso é importante ser mostrado”.

Antônio Olavo também é autor de outros trabalhos expressivos, que tiveram grande repercussão pública como “Paixão e Guerra no Sertão de Canudos” (1994), “Quilombos da Bahia”, “Abdias Nascimento Memória Negra” e “A Cor do Trabalho’”.  Seu próximo filme é sobre a Revolta dos Búzios, também chamada de Revolução dos Alfaiates, muito aguardado pelo público baiano. (Da redação / Fotos: Daniela Moura).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top