História

Tragédia em Piritiba: Mesmo com braço decepado mulher ajudou socorrer vítimas: ‘Foi terrível’

Mesmo após ter o braço decepado no acidente envolvendo um ônibus da empresa Emtram, no município de Piritiba, a dona de casa Ana Carla Pimentel Santos conta que ajudou a socorrer outras vítimas.

O veículo em que ela e outras 45 pessoas estavam, que levava crianças para um passeio em parque aquático de Jacobina, no norte do estado, tombou na quinta-feira (12) e cinco pessoas morreram e cerca de 30 ficaram feridas. A excursão era realizada por conta do Dia das Crianças.

“Fiquei acordada o tempo inteiro. Apesar de meu braço ter sido decepado, eu não fiquei desacordada. Eu ainda prestei socorro a outras pessoas. Foi terrível, terrível. Você ver crianças, mães, pedindo socorro. No momento, eu fui ver as pessoas que estavam comigo. E minha filha não teve nada, graças a Deus, eu agradeço ao Senhor, e meus sobrinhos. Só a minha prima que está na UTI, vai ter alta e a filha dela, que está no Hospital da Criança. Mas a gente está aqui para lutar e a gente vai vencer. E estou feliz porque Deus me deu uma nova chance de viver”, celebra a dona de casa, que está internada no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA), no município de Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros de Salvador.

Além dela, outros 26 pacientes foram encaminhados para a cidade: 18 adultos para o HGCA e nove crianças para o Hospital Estadual da Criança (HEC). Assim como Ana Carla, muitos feridos tiveram amputações, fraturas expostas e até traumatismo craniano.

Foram utilizados no resgate aviões e helicópteros do Grupamento Aéreo da Polícia Militar (Graer/PM-BA). Mais de 15 médicos e quase 40 enfermeiros e técnicos de enfermagem de Piritiba e cidades vizinhas ajudaram no resgate das vítimas.

No Clériston Andrade, apenas nove pessoas permaneciam internadas até esta sexta-feira (13): sete na enfermaria e duas na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Oito tiveram alta médica e uma mulher foi transferida para um hospital particular. As vítimas do HGCA, segundo a unidade médica, apresentavam estado estável, sem risco de morte.

Já com relação às crianças, das nove levadas para o HEC, três foram transferidas para o Hospital Geral do Estado, em Salvador. A Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) informou que vítimas também seriam transferidas para o Hospital do Subúrbio (HS), também na capital, mas não especificou quantas. Não há informações atualizadas sobre o estado de saúde das crianças.

Motorista diz que perdeu controle

O motorista do ônibus que tombou prestou depoimento à polícia ainda na quinta na delegacia de Jacobina, no norte da Bahia. De acordo com o delegado Tarcísio Túlio Dantas, o condutor contou que perdeu o controle da direção do ônibus. “Ele disse que passou por duas curvas e em seguida sentiu que perdeu a aderência da pista e o controle do veículo. Ele disse que trabalhava como motorista de ônibus há cerca de quatro anos e que por dois anos trabalhou fazendo a linha Xique-Xique a São Paulo. Ele conhecia a pista”, disse o delegado.

Tarcísio Dantas diz que a polícia trabalha com a possibilidade de defeito no veículo. Existe a informação de que a barra de direção do ônibus quebrou. “Mas só a perícia vai apontar o que realmente aconteceu. O tacógrafo também foi encaminhado para a perícia, para sabermos a velocidade que ele seguia”, relatou o delegado.

Conforme Dantas, o caso deve ser encaminhado para a delegacia de Piritiba, cidade onde ocorreu o acidente. O condutor ainda disse em depoimento que o veículo não estava superlotado, e que ele seguia com 46 passageiros no ônibus, que a quantidade limite de pessoas que ele poderia transportar.

Acidente

A viagem, organizada por conta do Dia das Crianças, teve início no municípío de Itaberaba, também na Chapada, e duraria cerca de 207 quilômetros. O tombamento ocorreu na altura do Km-17, próximo à fazenda Santa Luzia. O ônibus pertence à Empresa de Transportes Macaubense (Entram). Um funcionário da empresa disse que o veículo foi fretado para a realização do passeio.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública da Bahia, foram identificados os corpos de Vanessa Diamantino de Almeida, 16 anos, Maria Ruthe Diamantino dos Santos Souza, 48, Margarida Lopes Mascarenhas, 68, e Penélope Pimentel Lopes, 2. Até a quinta, uma vítima do sexo feminino estava com nome e idade ignorados.

Conforme o secretário de Saúde de Piritiba, Antônio José, crianças e adolescentes, entre 2 e 16 anos estavam no ônibus, acompanhados de pais, avós, tios e outros parentes. O gestor afirmou também que, entre os mortos, estão mãe e a criança que iria fazer dois anos de idade no dia 22 de outubro. Ainda conforme Antônio José, outro bebê dela, que é gêmeo do que morreu, conseguiu sobreviver e tem quadro de saúde estável.

Quatro pessoas, entre elas a criança e a mãe, morreram ainda no local do acidente. A quinta vítima chegou a ser encaminhada para uma unidade de saúde de Piritiba, de onde seria transferida para outra cidade por conta dos graves ferimentos — teve dois braços amputados –, mas também não resistiu. (Fonte: G1 Bahia).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top