Educação

Provas do ENEM começam a ser aplicadas em todo país

Agora sim, chegou o grande dia. Hoje e no próximo domingo (12), mais de 6,7 milhões de estudantes farão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), cada um deles em busca do sonho de ingressar em alguma instituição de ensino superior. Na Bahia, cerca de 490 mil pessoas fazem a avaliação em 190 cidades diferentes.

Não vale se atrasar, nem chegar despreparado para redação, ciências humanas e linguagens, códigos e suas tecnologias, as três provas aplicadas hoje. Na próxima semana, será a vez de ciências da natureza e matemática. O Supremo Tribunal Federal definiu que quem escrever algo ofensivo aos direitos humanos não terá a prova automaticamente zerada (leia mais abaixo).

Pela primeira vez, as provas estão agendadas não no mesmo fim de semana, mas em dois domingos consecutivos, excluindo a necessidade de aplicação especial para sabatistas. A região sudeste foi a campeã de participantes (2,4 milhões) e a região centro-oeste, a que menos inscritos apresentou (563 mil). Serão 600 mil pessoas trabalhando diretamente na aplicação. Dentre eles, certificadores capacitados (40.406), coordenadores municipais (1.793), coordenadores de locais de prova (13.880), assistentes de locais de prova (22.020) e chefes de sala (197.270). Desse modo, os participantes de estados com fuso horário distinto devem atentar para o horário local.

Os portões abrem às 12h e fecham-se pontualmente às 13h. Os inscritos terão 5h30 para fazer a avaliação no primeiro dia e 4h30, no segundo. No Distrito Federal, 28 linhas de ônibus recebem reforços nos dois dias do exame e os estudantes do ensino médio podem usar a gratuidade do passe livre estudantil. E o metrô vai funcionar neste domingo até às 8h.

Pela primeira vez, o cartão-resposta e a folha de redação contarão com nome e número de inscrição do participante, além de virem encartados no caderno de questões. A identificação nominal do estudante determina previamente qual a cor da prova de cada um. Cerca de 23 mil agentes de segurança pública trabalharão no evento. Haverá escolta policial na distribuição e no recolhimento das provas. No Distrito Federal, 350 homens da polícia militar farão os trajetos junto aos carros dos Correios, que levarão as provas.

Serão 67 mil detectores de metais distribuídos pelos locais de prova, média que garante um aparelho para cada 100 participantes. Todas as escolas que receberão o exame terão detectores. Aparelhos de ponto eletrônico também serão usados em locais estratégicos, auxiliando na busca por tentativas de fraude.

“Não sabemos quando a ansiedade vai chegar, mas, quando vem, é fulminante”, confessa Beto Belchior, 20 anos. O aluno de cursinho conta que mescla meditação e sessões eventuais de acupuntura para não entrar em desespero pré-exame. “O que não pode é se sobrecarregar antes da prova, pois os fatores psicológicos são os que mais pesam na hora decisiva”, conta. Vinicius Uler, 20, usa auxílios semelhantes. “Faço exercícios de respiração e terapia, que ajudam bastante. Além disso, tento racionalizar tudo. Quando me pego num momento de ansiedade, paro e penso: ‘O que está me deixando assim?’”. (Fonte: Correio Braziliense).

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top