Esporte

Bahia vence a Ponte e fica quase ‘resolvido’; Vitória arranca empate fora, mas segue no Z4

Na estreia da camisa vermelha, terceiro uniforme do clube, o Bahia venceu a Ponte Preta na tarde deste domingo (5), na Fonte Nova, por 2×0, e abriu distância da zona de rebaixamento. Os gols da partida foram marcados por Mendoza, no primeiro tempo, e Edigar Junio, no segundo. O resultado deixa o Esquadrão 10ª colocação, com 42 pontos.

Com uma nova formação tática adotada por Carpegiani, o Tricolor entrou em campo com uma postura ofensiva, em busca do terceiro triunfo seguido em casa. O primeiro tempo foi marcado por maior domínio do Bahia, que teve a bola em seus pés por mais tempo e finalizou mais vezes. Em uma destas finalizações, Mendoza abriu o placar.

Apesar de ter saído na frente antes do intervalo, as primeiras oportunidades tricolor aconteceram apenas após os 20 minutos de bola rolando, em cruzamento que partiu da esquerda e quase foi concluído por Tiago para o fundo das redes.

Aos 26 minutos, a formação tática do “professor” Carpegiani funcionou. Escalado no meio-campo, Allione deu bela assistência para Mendoza invadir a área, por trás da defesa, e concluir para abrir o marcador para o Esquadrão de Aço.

Depois de abrir o placar, o Bahia quase ampliou sua vantagem no lance seguinte. Desta vez Zé Rafael deu passe em profundidade para Edigar Junio, que saiu na cara do goleiro Aranha. Porém, errou na conclusão.

Pelo lado adversário, as melhores oportunidades foram criadas nos minutos finais, sendo a mais perigosa no último lance da primeira etapa, quando Nino invadiu a grande área e cruzou para chute de Claudinho para fora.

Segundo tempo

Já no segundo tempo, Carpegiani optou por voltar à formação tática antiga e mais conservadora, pondo Juninho no lugar de Vinícius.

Logo nos primeiros minutos, o Esquadrão esboçou uma pressão inicial em busca do segundo gol. Juninho, aos três minutos, chutou forte de fora da área e Aranha “bateu roupa” antes de encaixar. No minuto seguinte, Zé Rafael tabelou com Mendoza e chutou, mas sem perigo para o arqueiro adversário. Já aos cinco minutos, Tiago fez o goleiro alvinegro trabalhar em chute sem ângulo.

Com a vantagem no placar, o Tricolor seguia encontrando espaço para atacar em velocidade. Aos 22 minutos, Juninho puxou contra-ataque pela esquerda e acionou Zé Rafael. O meia chutou da entrada da área, mas Aranha pegou.

Por outro lado, a Ponte Preta buscava o gol de empate, porém esbarrava na defesa tricolor, que contou com a presença de Thiago Martins ao lado de Tiago desde os 14 minutos, após lesão de Lucas Fonseca.

Na reta final da partida, o Bahia adotou uma postura conservadora, buscando manter a posse de bola em seus pés por mais tempo e não correr riscos.

Mas, em jogada de contra-ataque nos acréscimos, o Tricolor sacramentou o triunfo com um golaço marcado por Edigar Junio, após belo lançamento de Zé Rafael e assistência perfeita de Mendoza. Um gol coletivo para garantir mais três pontos.

Vitória arranca empata nos descontos

Os rubro-negros não conseguiram esconder a frustração de ter empatado com o Vasco em 1×1 depois de ter dominado o adversário durante o jogo, neste domingo (5), no Maracanã. “Futebol é muito louco. Às vezes a gente joga mal e ganha, em outras a gente joga bem e acaba empatando. Trabalhamos hoje e lutamos até o fim, mas não conseguimos a vitória”, disse o lateral-direito Patric à Rádio Metrópole.

Revelado nas categorias de base do Vasco, o atacante André Lima mencionou a lei do ex que beneficiou o Vitória. “Fazia um bom tempo que não jogava aqui no Rio. Fico feliz em retornar e ajudar a minha equipe. É a famosa lei do ex, né? O mais importante agora para o grupo é chegar logo aos 45 pontos e tirar o risco de queda da cabeça”, disse. Nessa conta, faltam dez pontos em seis rodadas.

O técnico Vagner Mancini tem uma baixa confirmada para o próximo duelo, contra o Palmeiras, na quarta-feira (8), às 20h45, no Barradão. É o atacante Neilton, que recebeu o terceiro cartão amarelo.

Caíque Sá segue como dúvida. Recuperado de uma torção no tornozelo, ele treinou durante a semana, mas não foi para o Rio de Janeiro.

O presidente Agenor Gordilho garantiu que o jogo será em casa: “O Barradão é onde fizemos a nossa história nos últimos 30 anos. Já tivemos invencibilidades fantásticas lá. A gente vai acabar com esse jejum. O Palmeiras se cuide”. (Com informações do Correio da Bahia).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top