Polícia

Polícia recupera quase R$ 1,5 milhão tirados do ex-prefeito Ramiro e prende os envolvidos

Quatrocentos e cinquenta e um mil e seiscentos dólares [R$ 1,452 milhão segundo cotação do dólar desta quinta-feira (15)] foram recuperados pela Polícia Civil da Bahia, durante operação realizada em Caçapava, São Paulo, na quarta-feira de cinzas.

O valor, que ultrapassa a casa do R$ 1 milhão de reais, é fruto da extorsão mediante sequestro, pago pela família do empresário e ex-prefeito de Valença Ramiro José Campêlo Queiroz, para a libertação da vítima. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), o montante foi apreendido em uma churrascaria na Rodovia Presidente Dutra, com quatro envolvidos no crime, ocorrido no mês de janeiro.

A operação também contou com informações da Superintendência de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública. Os baianos Márcio Reis dos Santos, conhecido como Bradock, e Geraldo Alves de Carvalho Neto, o pernambucano Carlos Eduardo Rabello e o mineiro André Luís Maciel Santos já estão presos na Delegacia Antissequestro da Polícia Civil de São Paulo, que também apoiou a operação.

Ramiro José Campêlo de Queiroz, de 70 anos, foi sequestrado no dia 18 de janeiro desse anos e ficou com o grupo por 25 dias. De acordo com a polícia, o ele foi liberado no dia 12 de fevereiro, no Espírito Santo, após pagamento de resgate feito pela família.

Policia Civil prende envolvidos

A Polícia Civil da Bahia prendeu, nesta quarta-feira (14), em uma churrascaria no KM 19 da Rodovia Presidente Dutra, em Caçapava, São Paulo, quatro pessoas acusadas de participar do sequestro do ex-prefeito de Valença e empresário Ramiro José Campêlo de Queiroz, ocorrido no mês de janeiro. A operação também contou com informações da Superintendência de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública.

Com os baianos Márcio Reis dos Santos, conhecido como Bradock, e Geraldo Alves de Carvalho Neto, o pernambucano Carlos Eduardo Rabello e o mineiro André Luis Maciel Santos foram encontradas quantias provenientes do pagamento realizado pela família para a libertação da vítima. O valor será divulgado em breve, após conferido.

Comandada pelo Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado da Polícia Civil baiana, a operação também contou com o apoio da Delegacia Antissequestro da PC de São Paulo, para onde o grupo foi encaminhado.

De acordo com o delegado do Draco responsável pelas investigações, Cleandro Pimenta, embora a família não tenha aceitado a participação da polícia na negociação com a quadrilha, a Polícia Civil seguiu com as demais providências de polícia judiciária, chegando à identificação e prisão do grupo.

Márcio e Geraldo tiveram mandado de prisão cumprido. Já Carlos e André foram encaminhados para a adoção das demais medidas. (Com informações e foto: Jornal A Tarde).

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: