História

Um ano: relembre Belchior em três grandes entrevistas

Muito se resgatou a respeito de Belchior após sua morte. Nesta segunda-feira (30), um ano completou desde a partida do artista cearense. De discurso contundente, Antônio Carlos Belchior não era de fugir das perguntas e evitar debates. Pelo menos assim ele se mostrava nas entrevistas. Um ano após a partida do músico, poeta e artista plástico, o jornal O POVO Online resgata três grandes entrevistas de Belchior em momentos diferentes da sua carreira.

A primeira, publicada em 12 de janeiro de 2004, Belchior foi franco ao tratar da infância e adolescência em Sobral, o “Pessoal do Ceará”, a falta de habilidade para lidar com o meio artístico e até críticas à Tropicália. Além de tudo, a entrevista mostrou um Belchior disposto a não ceder às pressões do mercado.

“Sou um marginal bem-sucedido. Negócio de artista não me meto. O artista tem que fazer o seu trabalho esquecido

de que ele pode fazer sucesso ou pode fracassar. São igualmente enganadores”, afirmou. Em outro momento, disse não ter necessidade e “nem vontade de atender às expectativas do mercado”.

Já em sua entrevista ao caderno Vida&Arte do jornal, publicada em 28 de agosto de 2007, Belchior estava em outro momento da sua vida. Falou sobre lembranças ao lado dos 23 irmãos, formação musical com canto gregoriano e, mais uma vez, o processo de ruptura com a lógica do mercado.

Dois dias depois, ele foi entrevistado no programa Grande Debate da TV O POVO, no qual explicou sua relação com as artes plásticas, os festivais da década de 70 e sua falta de disciplina para as artes. Em uma das perguntas feitas pelo público, ele se posicionou a respeito da música na Internet. “Tem que haver um ordenamento para que o uso da internet não vire pirataria”, pontuou.

Assista ao programa Grande Debate da TV O POVO:

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: