Política

Decretada prisão de seguranças do PT que agrediram manifestante anti-Lula

A justiça determinou nesta sexta-feira (11) a prisão de Manoel Eduardo Marinho, o “Maninho”, ex-vereador petista de Diadema (SP) e de seu filho Leandro, que atuam como seguranças do PT. Os dois são acusados de tentativa de homicídio, ao agredirem um manifestante contrário a Lula, na Zona Sul de São Paulo.

A decisão foi tomada pela Juíza Débora Faitarone, da 1° Vara do Júri, que afirmou que os réus “não podem permanecer em liberdade após a prática de um crime doloso contra a vida, praticado de maneira tão covarde”. A juíza afirma ainda que a “A liberdade dos acusados geraria, na sociedade, uma enorme sensação de impunidade e a impunidade é um convite ao crime”.

Manoel Eduardo e seu filho Leandro foram indiciados por tentativa de homicídio duplamente qualificado, por motivo sórdido e recurso que dificultou a defesa da vitíma.

Carlos Alberto Bettoni, 56 anos, foi agredido por três manifestantes pró-Lula, após supostamente ofender o senador Lindenbergh Ferias (PT-RJ), no mesmo dia em que foi determinada a prisão do petista. O empresário sofreu traumatismo craniano, e foi submetido a cirugia, permanecendo na UTI por 20 dias.

O ataque foi registrado por vários meios de comunicação, ao vivo. Vendo as imagens, a Juíza declarou: “São chocantes e revelam, por parte dos réus, brutalidade e enorme covardia.”

Após agressão uma poça de sangue escorria da cabeça de Carlos Alberto em via pública, ao notar que a vitíma estava caída, os indiciados fugiram do local. (Diário do Poder).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: