Meio Ambiente

Maior eclipse do século encanta Riachão e outras regiões do País

No inicio da noite desta sexta-feira (27), a população brasileira pode acompanhar o maior eclipse do século. Um show de natureza que transmitiu emoção em várias regiões. Na Bahia, a população de Salvador acompanhou o fenômeno de vários locais, mas o porto da Barra foi o mais procurado por já proporcionar um descortinar de um dos mais belos por do sol do mundo.

No interior da Bahia, e mais especial na região Sisaleira e no Território da Bacia do Jacuípe, o fenômeno também chamou a atenção das pessoas. Em Riachão do Jacuípe e em outras cidades dessas regiões as cenas do eclipse foram acompanhadas de inicio ao fim. “Estou vendo, linda!”, disse uma moradora. “É muito bonito, e melhor ainda se a gente visse isso todos os dias”, disse outro morador jacuipense.

Em Salvador, segundo o Jornal A Tarde, os moradores puderam contemplar um dos fenômenos mais raros: o maior eclipse lunar já registrado neste século. O astro nasceu por volta da 17h22 e durou pouco menos de duas horas. O auge do fenômeno foi registrado às 18h10.

O espetáculo reuniu centenas de pessoas em diversas regiões da orla marítima da capital, entre eles o Farol da Barra e Jardim de Alah. O céu com nuvens chegou a dificultar a observação do eclipse.

Outras capitais

Em São Paulo, a esperada “lua de sangue” só deu as caras às 18h25, quando tudo indicava que as centenas de pessoas que foram ao local para observar o fenômeno sairiam frustradas. A Lua cheia surgiu de repente no céu parcialmente eclipsada e deslumbrou os paulistanos.

Minutos antes, a professora de Inglês Marlene Andreetto e a estudante Yasmin Andrade, de 11 anos, já ficavam decepcionadas, na fila em que mais de 500 pessoas esperavam para observar outro fenômeno especial – Marte na maior aproximação com a Terra dos últimos anos. Para isso, a direção do Planetário de São Paulo, dentro do parque, decidiu instalar três telescópios. “Viemos por causa do eclipse, mas nos disseram que ia ser difícil de ver, então entramos na fila para ver Marte.”

No instante seguinte ao fim do eclipse lunar, o mais longo do tipo de todo o século 21, uma correria chamou a atenção de Marlene e Yasmin. A Lua cheia – parecendo um fino semicírculo – finalmente aparecia por cima das árvores e das nuvens. (Fonte: Estadão).

Rio de Janeiro

No Rio, dezenas de cariocas se reuniram na Praia da Copacabana, zona sul, para tirar fotos. O fenômeno pode ser visto a olho nu e deixou o astro com uma cor avermelhada. A partir de 15h24, o Sol, a Terra e Lua ficaram alinhadas no céu. O eclipse, no entanto, só poder ser visto de 17h27 até 19h19.

“O nosso planeta vai bloquear os raios solares que iriam para a Lua. É um dos fenômenos mais bonitos da astronomia, é deslumbrante”, explica o astrônomo Jorge Marcelino, do Planetário do Rio.

Segundo ele, o posicionamento dos astros faz com que as cores sigam um curso diferente ao passar pela atmosfera e cria o efeito avermelhado. Para a ocasião especial, o Planetário promove, em parceria com o Sesc, um evento no Forte de Copacabana para o público observar o eclipse lunar total. (Fonte: O Dia).

Aplausos em Recife

O clima foi de muita expectativa para ver o eclipse lunar mais longo dos últimos 100 anos, na noite desta sexta-feira (27) no Recife. As muitas nuvens no céu e a ameaça de chuva não permitiram a visualização do fenômeno ao nascer da lua, às 17h21. No Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, na Zona Sul da capital pernambucana, muitas famílias estiveram no local já por volta das 17h30. Faltando 10 minutos para as 18h, o céu ficou limpo e, finalmente, foi possível observar a lua, com direito a aplausos dos presentes.

O professor James Solon, do Grupo de Astronomia de Pernambuco (Astro-PE), levou um telescópio para que o público pudesse visualizar melhor o fenômeno. De acordo com James, Recife foi o melhor lugar para ver o eclipse devido ao seu posicionamento central em relação à sombra que causa esse efeito na lua. No Marco Zero, no Bairro do Recife, as nuvens demoraram mais alguns minutos para dar espaço para a lua avermelhada. Quando apareceu, às 17h55, o fenômeno também foi muito aplaudido. (Fonte: Folha de Pernambuco).

Pelo mundo

O fenômeno também foi visto em várias partes do mundo, apesar de não ser visível nos Estados Unidos, no Canadá, Groenlândia, México e na maioria das áreas da América Central. Em outros pontos, as condições climáticas definiram a visibilidade. Na Grécia, na Dinamarca e no Egito, por exemplo, foi possível ver a “lua de sangue” com nitidez.

A Nasa, agência espacial americana, transmitiu ao vivo pelo site. No Twitter, entre publicações fascinadas e xingamentos contra as nuvens que atrapalhavam a visibilidade, o eclipse ficou entre os assuntos mais comentados na noite desta sexta. (Fonte: Agencia Estado).

(Fotos: Adilton Venegeroles: Agencia A Tarde / Brenda Alcântara: Folha de Pernambuco; Paulo Whitaker/ REUTERS)

 

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: