Cultura

Lançamento do filme ‘Revolta dos Búzios’ lota a Walter da Silveira

Foi lançado na última segunda-feira (13), na Sala Walter da Silva, nos Barris, em Salvador, o documentário ‘1798 Revolta dos Búzios’, do cineasta Antônio Olavo. Exibido em duas sessões lotadas (aproximadamente 600 pessoas), a primeira às 18h30 e a segunda às 20h. O filme com 72 min. de duração preencheu todas as expectativas do publico que compareceu, chegando, inclusive, a formar fila e provocar um pequeno estresse entre os que chegaram mais atrasados.

Como ordem natural das coisas e dos grandes momentos, a expectativa gerada pelo lançamento do documentário poderia ser considerada normal se ali não estivesse uma expressiva representatividade da cultura baiana, que dividia espaço e sentia a mesma ansiedade sobre o que a tela da Sala Walter da Silveira iria mostrar a partir daquele instante.

Entre os presentes estavam Antônio Carlos dos Santos, o Vovô do Ilê, Raimundo Bujão, do MNU, João Jorge Rodrigues, do Olodum, Gilberto Leal, da CONEN, as secretárias estaduais Fabya Reis, da SEPROMI, e Arany Santana, da Secult, o historiador João José Reis, o cantor e compositor Fábio Paes, muitos cineastas e produtores de cinema, artistas, além de diversas autoridades religiosas, acadêmicas e do movimento negro, bem como pesquisadores, jornalistas e estudantes da capital baiana.

E antes de a tela girar, o próprio autor revelou que ‘o filme foi desenvolvido durante um longo tempo e havia uma predeterminação por contar essa história da Revolta dos Búzios, que precisava ser conhecida pelo povo baiano e brasileiro’. Um pouco tenso, em breves e emocionantes palavras, Olavo detalhou mais sobre a produção do filme:

“Desculpem pela demora, não para começar a exibição, mas sim pelo tempo que o filme levou para ser lançado, foram 13 anos de trabalho e pesquisa. Mas, com muito esforço, depois de varias noites praticamente sem dormir, estamos aqui para fazer esse lançamento. Aproveito para agradecer a presença de todos vocês e às pessoas que me ajudaram a construir este filme. Ele, agora, não mais me pertence. Agora ele é de quem quiser se apropriar dele. Podem usar, copiar, tirar o melhor proveito”, disse Olavo.

A exibição

Foram mais de 70 minutos de silencio absoluto dentro da Sala Walter da Silveira, pois todos estavam atentos à narrativa que teve como fonte de pesquisa para o Roteiro os Autos da Devassa, volumoso documento com mais de 2 mil páginas manuscritas produzidas na época (1798). Enxertado com centenas de imagens, ricamente embaladas no trabalho de arte de Raimundo Laranjeira (Diretor de Arte), com a bela fotografia de Antônio Luís Mendes e também ancorados nas narrações adicionais de atores e atrizes, muitos deles do Bando do Teatro Olodum, o público pode reviver, 220 anos depois, os ideais de Manoel Faustino, Luís Gonzaga, João de Deus, Lucas Dantas e Antônio José, os mártires da Revolta dos Búzios, dos quais quatro foram enforcados e esquartejados na Praça da Piedade, em 8 de novembro de 1799.

Ao final da última cena, um público embebido não se deu conta de que a ficha técnica já anunciava o fim do histórico documentário. Mas, mesmo os mais dispersos perceberam que o som das palmas que ecoava por toda a Walter da Silveira era o ressurgir de um povo que se sentia cada vez mais livre e disposto a reverenciar os heróis da Conspiração dos Alfaiates.

Expectativa

A grande expectativa gerada antes de o filme ser lançado não foi surpresa para quem já está acostumado com o trabalho de Antônio Olavo, que cada vez mais se consolida como um documentarista de referência no estado da Bahia.

E se havia algum receio, com certeza não era sobre a capacidade do autor, mas certamente saber como ele teria construído um filme baseado em um fato tão distante no tempo e tão marcante para a história da Bahia e do Brasil, sem elementos iconográficos (fotografias, pinturas etc) do episódio e sem depoimentos de historiadores.

No final, valeu a pena o desafio de contar uma história tão rica e tão bem contada. Bem, se você não viu, na próxima segunda-feira, dia 20, o filme vai ser exibido na TVE, às 21h15. Agende.  (Por Evandro Matos / Fotos: Luís Pereira).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: