Interior da Bahia

Polícia

25 mulheres relataram abusos sexuais do médium João de Deus

Novas denúncias de abuso sexual contra João Teixeira de Faria, o médium João de Deus, 76 anos, foram mostradas neste domingo (9) no programa de televisão “Fantástico”, da Rede Globo. Ele é acusado do crime por pelo menos 25 mulheres, se somadas as denúncias reveladas também pelo jornal carioca O Globo e pelo “Conversa com Bial”, desde a noite da última sexta-feira.

O advogado do médium, Alberto Toron, afirmou que João de Deus nega as acusações e está à disposição da Justiça para esclarecimentos. Já a promotora de Justiça Gabriela Manssur afirmou ao “Fantástico” que já foi procurada por cerca de 200 mulheres com denúncias contra o médium e que está sendo montado um grupo de trabalho para receber as acusações.

Os relatos se repetem: o médium chama mulheres para consultas individuais, e as leva a uma sala adjacente, a um banheiro, aonde acontecem os supostos abusos. Outro ponto comum é o oferecimento de cristais como presentes. João de Deus afirma fazer cirurgias espirituais – para tratar doenças como câncer, esclerose, cegueira e depressão – através de entidades incorporadas em Abadiânia (GO) e ostenta longa carteira de pacientes estrelados – de políticos a celebridades, brasileiros e estrangeiros.

Uma das vítimas, a holandesa Zahira Lieneke Mous, contou que conheceu o local em 2014, quando buscava a cura para o trauma de ter sofrido abusos sexuais no passado. Após pesquisas, sentiu-se à vontade para ir sozinha até a casa. Na segunda visita a Abadiânia, foi informada que teria uma consulta particular com o médium em um escritório que fica dentro da casa. Ao chegar no escritório, o médium pediu para que ela ficasse de costas, conduzindo-a para um banheiro. Depois, ele teria colocado as mãos dela no pênis dele e fez com que elas se movimentassem.

Da apresentadora norte-americana de TV Oprah Winfrey ao atual presidente da República, Michel Temer (MDB). Em Abadiânia (GO), cidade de menos de 15 mil habitantes onde João de Deus atende na Casa Dom Inácio de Loyola desde 1976, a população faz silêncio sobre as denúncias. Temem represálias.

João de Deus diz ser guiado por “entidades” que incorpora – entre elas, Santo Inácio de Loyola, que tem uma estátua dedicada a ele no centro da Casa, na qual recebe mais de mil pessoas por dia entre quartas e sextas-feiras. Desde que apareceu na TV em programas como o da apresentadora norte-americana Oprah Winfrey, o local tem sido alvo de peregrinações de turistas. Uma funcionária de uma pousada próxima ao local, no entanto, relata que ao menos três pessoas que planejavam chegar amanhã podem desistir da reserva. “Disseram que esperam um depoimento dele para decidir o que fazer”, afirma ela, que pede para não ser identificada.

Abordados pela reportagem, parte das pessoas que frequentavam o local diziam não saber das denúncias de abuso sexual ou ter ouvido apenas “rumores”. Alguns, assustados, evitaram comentar o caso. “Se for verdade, não quero ter meu nome envolvido nisso”, disse uma turista. Outros saíram em defesa do médium. Voluntário na casa há 19 anos e dono de uma pousada na cidade, Norberto Kirst, 75, afirma que João é um homem comum, mas com uma “missão espiritual”. “A verdade é mesmo como estão falando? Ou é mentira ou recalque. João já respondeu a processos. Se tudo que já foi dito é verdade, ele não teria sido absolvido”, completa. Para Guy Ribbens, 57, que veio da Bélgica há uma semana em busca de tentar fortalecer sua “espiritualidade“, “o futuro vai mostrar quem está certo”. “O que você faz de bom ou mal, é você quem vai pagar por isso”, diz. (Fonte Folhapress/ Foto: Divulgação/Filme).

 

 

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas