Esporte

Pé de Serra: Pedra do Urubu lota em mais um ‘Jogo das Estrelas’

O Parque Pedra do Urubu, na cidade de Pé de Serra, a cerca de 30 km de Riachão do Jacuípe, atraiu um grande público no último domingo, dia 16 de dezembro de 2018, para acompanhar mais um “Jogo das Estrelas”, evento que já está no seu quinto ano consecutivo e que reúne ex-jogadores da região contra ex-craques de Bahia e Vitória, principalmente.

Como no ano passado, as duas equipes foram formadas pelos Amigos de Dr. Pitada x Amigos de Marcio de Tieta. A primeira equipe contou com ex-jogadores como Gil Sergipano e Dico Maradona (campeões brasileiros pelo Bahia em 1989), Robson Luiz, Bebeto Campos, Reinaldo Aleluia, Emo, Paulo Rodrigues e Iberê (ex-jogadores de Bahia e Vitória), dentre outros. O time da casa contou com Birineco (ex-seleção de Pé de Serra), Del (ex-seleção de Riachão), Luciano e Jânio (ex-Jacuipense) e Paulo Matos (ex São Paulo, Vitória e Náutico).  

O jogo

O empate em 3×3 acabou sendo justo pelo equilíbrio da partida. No primeiro tempo, com mais volume de jogo, o time de Dr. Pitada saiu vencendo por 2×1, com dois gols de Paulo Rodrigues, o ex-lateral esquerdo do Vitória. Paulo Matos diminuiu para os Amigos de Marcio de Tieta, depois de uma boa troca de passes que envolveu também Del e Birineco.

Na volta do segundo tempo, o time de Dr. Pitada continuou melhor, com a bola sempre passando pelos pés de Paulo Rodrigues, sem dúvida o jogador mais inteiro em campo, o que mais procurou o jogo e o que mais chutou a gol. Artilheiro da partida, foi dele também o terceiro gol da equipe visitante, que soube tirar proveito dos vacilos cometidos pela zaga adversária, que deixava o ex Vitória com liberdade e abdicava de ter Luciano fixo na zaga.

Mas o predomínio do time de Dr. Pitada durou pouco na segunda etapa. Perdendo por 3 a 1, os Amigos de Marcio de Tieta foram pra cima. Para isso, contaram com duas circunstancias da partida que foram fundamentais para a mudança. Primeiro, porque Paulo Rodrigues cansou e Aleluia não tinha a mesma vontade da primeira etapa. Segundo porque a entrada do garoto Levy, desde o inicio da segunda etapa, deu nova vida ao ataque do time da casa.

E foi depois de várias tentativas que a equipe diminuiu o marcador, justamente através de Levy, e depois chegaria ao gol de empate, através de Dr. Bubu de Pé de Serra. O gol de empate já veio no final, depois de muita pressão. Sem Paulo Rodrigues e com Gil Sergipano e Aleluia andando em campo, os adversários criaram várias oportunidades no final, e a virada não veio graças às boas defesas do goleiro Iberê e a falta de capricho de Marcelinho.

A festa

Após a partida amistosa, os jogadores foram curtir junto com os torcedores um momento de confraternização. Torcedores do Bahia, principalmente, cumprimentaram muito o meia Gil Sergipano, campeão brasileiro pelo tricolor em 1989. Morando em Salvador atualmente, Gil mudou pouco em relação ao seu visual, mas dentro de campo não tem mais as mesmas passadas largas, apesar de manter a elegância e simplicidade, marcas que lhe ajudaram a se consagrar naquele time que tinha também Paulo Rodrigues, Bobô, Zé Carlos e Charles.

“É bom a gente participar desses jogos, porque saímos da rotina. E também por esse contato com o torcedor, saber que ainda é reconhecido pelo titulo conquistado pelo Bahia”, disse Gil Sergipano á reportagem do Interior da Bahia.

Quem também se mostrou satisfeito foi Birineco. Anfitrião, após a partida ele circulava de mesa em mesa, certamente procurando deixar todos à vontade. “Eu já fiz a minha parte. Agora é com vocês. Todo mundo pode ficar á vontade”, dizia.

A partida mais uma vez contou com a cobertura da Rádio Jacuípe, com a narração de Alan Rodrigues, reportagens de Noroel Fernandez e comentários de Evandro Matos.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas

To Top
%d blogueiros gostam disto: