Interior da Bahia

Cultura

Espetáculo sobre ‘Vidas Secas’ mostra dor e silêncio dos retirantes

No clássico literário “Vidas secas”, Graciliano Ramos (1892-1953) descreve um cenário de aridez, miséria e desolação. Essas imagens, que somente através do texto já geram um forte impacto, ganham forma por meio de bonecos e máscaras na adaptação da companhia ítalo-brasileira Caravan Maschera.

O espetáculo, cujo nome é o mesmo do livro, chega à Caixa Cultural em curta temporada. As sessões ocorrem de 17 até 26 de janeiro; quintas e sextas-feiras, às 20h; e aos sábados, às 18h e às 20h. Ingressos a R$ 30 e R$ 15 (meia-entrada).

“O que pretendemos não é apenas recontar essa história que o Graciliano já escreveu de um modo perfeito. Ao decidirmos fazer quase sem palavras, deixamos um espaço muito grande para o público reinterpretar a obra. Retiramos o que existe de mais objetivo no texto e deixamos o público só com a intuição”, afirma o ator brasileiro Leonardo Garcia Gonçalves, que forma dupla com a italiana Giorgia Goldoni.

O drama da família de retirantes é retratado a partir de oito bonecos confeccionados pelos artistas. São marionetes de diferentes tamanhos e tipos de manipulação. A estética é inspirada nas pinturas de Candido Portinari e fotografias de Sebastião Salgado. “A paleta de cores vem do Portinari. Usamos os tons que ele coloca nos quadros da série dos retirantes na composição de luz, nos bonecos e na cenografia. Já o Sebastião Salgado entra com a sombra que ele utiliza muito bem nas suas fotos”, explica Gonçalves.

Além de viajar o Brasil, a peça já passou por países como França, Itália, Suíça e Eslovênia. Segundo Leonardo, a reação de boa parte do público europeu foi de estabelecer conexões entre a narrativa e a atual situação dos refugiados vindos da Síria e de países da África. “‘Vidas secas’ discute mais do que a seca. A essência da obra é a sensação de impotência que os personagens vivem. Ela vai chegando a questões mais humanas, que envolvem qualquer indivíduo, de todas as regiões e épocas”, aponta.

Na capital pernambucana, a Caravan Maschera comanda ainda um workshop sobre teatro de bonecos, amanhã e no sábado. Giorgia Goldoni e Leonardo Garcia Gonçalves se conheceram em 2010, na Itália, quando participavam de um curso de especialização em teatro de máscaras. A experiência, que proporcionou aos artistas residirem em cinco países diferentes, incentivou a dupla a empregar os conhecimentos adquiridos na criação de um grupo no Brasil. (Fonte: Folha de Pernambuco/ Foto: Tamyris Zago/Divulgação)

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas