História

Coutinho, o maior parceiro de Pelé e um dos maiores ídolos do Santos, morre aos 75 anos

Antônio Wilson Vieira Honório, o Coutinho, maior parceiro da carreira de Pelé, morreu nesta terça-feira, aos 75 anos. Os dois juntos ganharam todos os títulos possíveis pelo Santos entre os anos de 1958 e 1967. O atacante foi campeão do mundo pela seleção brasileira em 1962, na Copa do Mundo do Chile.

Coutinho fez história no Santos, ao lado de Pelé, na década de 60

“A pequena área perdeu um dos seus professores”, escreveu o Santos em seu Twitter. “Nesse momento de imensa tristeza, o que nos fará lembrar eternamente de Coutinho são suas glórias, gols e histórias marcantes”, continuou.

Natural de Piracicaba, Coutinho chegou ao Santos com 14 anos, levado pelo técnico Lula. Com um domínio de bola impressionante e grande poder de finalização, logo ganhou a posição de centroavante do time, em substituição a Pagão, outro grande craque do time de Vila Belmiro.

Foi o companheiro ideal de Pelé. Diz a lenda que Coutinho passou a usar uma faixa branca no punho direito para diferenciar do camisa 10 e passar a ter também os elogios pelas lindas jogadas que realiza em campo. Para muitos, o atacante tinha mais visão de jogo que Pelé na hora de finalizar, o que lhe valeu o apelido de “gênio da pequena área”

Coutinho e Pelé fizeram uma dupla genial e muitos gols pelo Santos

As tabelas Pelé-Coutinho ficaram marcadas, inclusive de cabeça. Juntos os dois lideraram o Santos na conquista de seis títulos paulistas (1960, 1961, 1962, 1964, 1965 e 1967), quatro Torneios Rio-São Paulo (1959, 1963, 1964 e 1966), cinco Taças Brasil (1961, 1962, 1963, 1964 e 1965), duas Libertadores (1962 e 1963) e dois campeonatos mundiais (1962 e 1963), além de inúmeras exibições por todo o mundo. Foram 457 jogos e 370 gols.

Pela seleção brasileira, Coutinho foi convocado para a Copa do Mundo do Chile, em 1962, mas não chegou a atuar por causa de uma lesão, deixando o protagonismo para Vavá e Amarildo.

Uma de suas principais marcas foi ter enfrentado o Corinthians por 12 anos e jamais ter sido derrotado. Com tendência a engordar, sofreu com lesões e teve encerrar a carreira precocemente, aos 30 anos. (Informações do Portal Terra).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas