Interior da Bahia

Política

PR deve receber vereadores do PHS de Salvador e migrar para o grupo de ACM Neto

Ganha cada vez mais força a possibilidade de o PR, aliado até então de primeira hora do governador Rui Costa (PT), abrigar em seus quadros quatro vereadores de Salvador eleitos pelo PHS, mas insatisfeitos com a fusão da sigla com o Podemos para superar a cláusula de desempenho. 

Grupo de vereadores pode trocar o PHS pelo PR e migrar para a base de ACM Neto

Contudo, ao contrário do que o cenário aponta Teo Senna, Cátia Rodrigues, Isnard Araújo e Fábio Souza não migrariam para base de Rui, afinal essa é a principal queixa em relação a coalização com o Podemos. Informações dão conta de que o reforço ao time comandado, hoje pelo ex-deputado federal José Carlos Araújo, seria uma tendência natural de migração do PR à base do prefeito ACM Neto (DEM) em 2020. 

“Estão existindo conversas e posições que levam à esse caminho e a confirmação da ida desses vereadores para a sigla seria um reforço para isso. Ou seja, se confirmado, seria uma tendência natural”, frisou um interlocutor do Palácio Thomé de Souza, referindo-se à possibilidade de alinhando entre os grupos. “Trata-se de um partido bom, que cresceu, cuja tendência é crescer ainda mais”, enfatizou. 

O fato é reforçado pela declaração do deputado federal Abílio Santana ao assumir a presidência municipal do Partido da República. Na ocasião, ele não hesitou em afirmar que o diretório municipal passaria a marchar com o prefeito. “O PR estadual está com Rui, mas o municipal é com ACM Neto até debaixo d’água. Sou aliado do melhor prefeito do Brasil e tenho a honra de fazer parte do seu grupo político”, disse o deputado, em nota.

O vice-prefeito Bruno Reis (DEM), durante a abertura do Carnaval, também não descartou atrair os aliados do governador para o grupo do prefeito e foi mais além, admitindo que 2020 vai chegar e tudo pode acontecer.

“Temos condições de dialogar com Abílio, que é um parceiro, um amigo nosso, com Zé Rocha, com João Carlos Bacelar e com José Carlos Araújo, mas esse diálogo só será em 2020. Agora não temos eleição e então não tem porque se falar em apoio partidário, mas da nossa parte temos todas as condições de conversar, pelo passado, pelo presente e pelo futuro”, avaliou na ocasião. (Informações do Bocao News).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas