Polícia

Após boatos, estouro de bomba de São João gera pânico em escola de Camaçari

O estouro de uma bomba de São João causou confusão na manhã desta quarta-feira (3) no Colégio Estadual José de Freitas Mascarenhas, em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS). O tumulto ocorreu por volta das 11h30.

Boato sobre bomba gerou pânico entre os estudantes da escola

O barulho gerou pânico entre os alunos, que deixaram as salas de aula assustados. No local, houve correria e muitos gritos dos estudantes. Alguns deles chegaram a se jogar no chão e outros registraram a movimentação em um vídeo.

Segundo informações de uma funcionária da escola, que preferiu não se identificar, a situação foi controlada imediatamente e as atividades na escola foram retomadas logo em seguida. As atividades vespertinas da unidade também foram mantidas e a direção do colégio passou pelas salas para tranquilizar os estudantes. Ninguém se feriu.

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que foi acionada e enviou policiais do 12º Batalhão de Polícia Militar (Camaçari) à instituição de ensino. “No local, a guarnição foi informada por funcionários que dois suspeitos lançaram fogos de artifício na quadra, que fica nos fundos da unidade escolar. Com o barulho, alunos e professores ficaram assustados, houve princípio de tumulto”.

O documento diz ainda que o policiamento foi reforçado nas imediações da escola. De acordo com a Polícia Civil, nenhuma ocorrência foi registrada na 18ª Delegacia (Camaçari).

Em nota, a Secretaria de Educação do Estado da Bahia (SEC) informou que os boatos que circulam pelas redes sociais atribuindo a confusão a tiros e facadas na escola são infundados e causou uma baixa frequência dos alunos nas atividades desta quarta.

Aulas suspensas

Pelo menos cinco escolas e uma faculdade particular suspenderam as aulas nesta quarta-feira (3) na cidade de Alagoinhas, no Nordeste da Bahia. As aulas foram canceladas depois que, na tarde de terça-feira (2), começaram a circular áudios de WhatsApp atribuídos à facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), afirmando que iriam promover ataques nas escolas da cidade semelhantes ao que aconteceu no mês passado em Suzano, no interior de São Paulo, quando dez pessoas morreram.

O órgão disse ainda que “está vigilante e reforçou sua atenção às denúncias e ‘fake news’ que estão circulando na Bahia”. Acrescentou ainda que estas ocorrências estão sendo investigadas pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) e que as escolas continuarão funcionando normalmente. “Há um trabalho permanente sendo realizado nas escolas da capital e do interior do Estado, no sentido de prevenir qualquer tipo de ocorrência”, completou o documento.

Houve também registro de suspensão de aulas em escolas de Barreiras, Oeste baiano, e Santo Antônio de Jesus, Recôncavo. (Fonte: Correio).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas