Justiça

Acusado de matar mestre de capoeira em Salvador vai a júri popular

O barbeiro Paulo Sérgio Ferreira de Santana, suspeito de matar o mestre de capoeira Romualdo Rosário da Costa, conhecido como Mestre Moa do Katendê, vai a júri popular. A decisão é da juíza Gelzi Maria Almeida Souza.

Mestre Moa do Katendê foi morto por uma discussão em um bar de Salvador

Segundo a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), a data do julgamentos será marcada após diligências solicitadas pela magistrada.

Paulo Sérgio foi denunciado, em outubro do ano passado, pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA) por homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima.

O barbeiro é acusado de ter dado doze facadas na vítima. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Paulo Sérgio confessou o crime e, além disso, o dono do bar onde aconteceu a morte, entre outras testemunhas, confirmou que posições políticas adversas iniciaram a briga.

O crime ocorreu após uma discussão em que Moa de Katendê declarava voto no petista Fernando Haddad, nas eleições de 2018. Paulo, que se declarava eleitor de Jair Bolsonaro, pagou a conta no bar, foi até a sua residência, voltou ao estabelecimento e acertou o mestre de capoeira com golpes de faca.

Moa do Katendê era compositor, dançarino, capoeirista, percussionista, artesão e educador. Fundou, em maio de 1978, o Afoxé Badauê. (Informações da Revista Veja).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas