Cultura

Mucugê movimenta III Festival de Forró da Chapada de 10 a 12 outubro

“A sanfona é o principal instrumento das festas espalhadas pelo mundo. Fascina pela sua sonoridade, pela diversidade de modelos e gêneros, mas seu encanto transcende o poder da música, porque desperta um afeto misterioso. Talvez pelo fato de ficar junto ao coração do sanfoneiro, ou, quem sabe, por ser um instrumento que é abraçado ao se tocar. Ou ainda, por ser um instrumento que respira. O fato é que a sanfona une as pessoas e é amada por todos os povos”.

Para a edição de 2019, além de Targino Gondim, outros artistas se apresentarão

As professoras Luana Carvalho e Ana Vartan viajaram do Estado de Pernambuco até o município de Mucugê, na Chapada Diamantina, Bahia, por compreenderem que a sanfona é o maior simbolo do imaginário cultural presente na obra de Luiz Gonzaga. A biologa Ana Vartan viajou mais de 850 km, entre Exu, Pernambuco, terra de Luiz Gonzaga até Mucugê, Bahia. Mucugê sedia, pelo terceiro ano, o Festival de Forró da Chapada, que acontece de 10 a 12 de outubro, final de semana do feraido de Nossa Senhora Aparecida. 

Para a edição de 2019, além de Targino Gondim são atrações o Quinteto Sanfônico do Brasil, Gel Barbosa, Marquinhos Café, Rennan Mendes , Nádia Maia, Anastácia, Ivan Greg, Tato, da Banda Falamansa, Kátia Cilene, Eugenio Cerqueira, Mariana Aydar, João Sereno, Nilton Freitas, Mestrinho, Del Feliz, Jurandy da Feira, Carlos Vilela, Jairo Barbosa e outros artistas.

O evento, idealizado pelo cantor e compositor, Targino Gondim. “Mucugê é um encanto, um paraíso da Chapada Diamantina. Este é o terceiro ano que reuno amigos do forró, os maiores artistas do nosso gênero para comemorar comigo nesta grande festa, que é o Festival de Forró da Chapada. A cidade já abraçao festival. Tem gente de todos os estados brasileiros. Além de aquecer a economia da região, levamos alegria e incrementamos o fluxo turístico da região”, disse Targino Gondim, curador do evento.

A ideia, ainda conforme Targino, é manter o compromisso com os valores culturais, promovendo intercâmbio musical entre todas as gerações participantes, de diferentes estados brasileiros e entre músicos, cantores, compositores, produtores, empresários, técnicos, estudiosos, comunicadores e amantes do forró. Além da programação musical de nomes mais conhecidos do ritmo, o festival dá oportunidade a novos talentos de se apresentarem. 

Também são previstas aulas de dança, sanfona e ritmo, por meio de oficinas gratuitas. (Fonte: Foto Collage).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas