Cultura

I Feira Literária de Canudos é encerrada ao som da Orquestra do Sisal

A I Feira Literária de Canudos, no sertão da Bahia, foi encerrada no último domingo (24), após quatro dias de intensa programação.

Figuras como a de Antonio Conselheiro foram representadas durante o desfile das escolas

O evento começou na quinta-feira (21) com um desfile cívico das escolas pelas ruas da cidade com representações sobre a Guerra de Canudos e os seus principais personagens como Antonio Conselheiro e as expedições do Exército Brasileiro.

Banda de Pífanos de Canudos puxou o desfile pelas ruas da cidade
Orquestra Neojibá fez a apresentação de abertura do evento, na quinta-feira (21)

A sequencia do evento foi marcada por diversas atividades, com mesas de conversas, exposição fotográfica, exibição de filmes, apresentações teatrais e de grupos culturais como a Banda de Pífanos, além de shows musicais de artistas como Bião de Canudos, Fábio Paes e Gereba.

Mesa de Conversa: uma manhã inteira com debatedores de muito conteúdo
Bião de Canudos encerrou a primeira noite com um belo show

Concomitantemente às atividades que transcorriam no Espaço Edvaldo Boaventura, aconteciam também as visitas às barracas com produtos da região como artesanato de barro e couro, além de bebidas e comidas típicas. Considerado um dos espaços mais visitados da feira literária, a exposição de fotografias na área do museu também coube um destaque especial.

Espaço Edvaldo Boaventura e os estandes com produtos da região

Raramente se reúne num mesmo espaço trabalhos sobre a temática canudense como os de Flávio de Barros (único fotógrafo da Guerra de Canudos), Evandro Teixeira (consagrado fotógrafo do Jornal do Brasil), Antonio Olavo (cineasta e fotógrafo premiado), além de gravuras do artista plástico Trípoli Gaudenzi, e parte do acervo pessoal de José Aras.

O salão de exposição, com o fotógrafo Evandro Teixeira e o curador Luiz Paulo Neiva

“Fizemos um esforço muito grande para realizar essa Feira, e mesmo com um orçamento pequeno conseguimos trazer para debater Canudos pesquisadores e escritores consagrados, além de outras atividades que vão marcar esse evento. Eu vejo essa feira com muita perspectiva e acredito que, com as emendas parlamentares que já estão garantidas, no próximo ano ela será maior ainda. Nossa meta é inserir a Feira Literária de Canudos no calendário cultural do país”, declarou Luiz Paulo (Uneb), curador do evento.

Professora Luitgarde Cavalcanti, da UFRJ, trouxe vasto conhecimento para a feira

“Muito bom, muito interessante. Até o calor dá para suportar. É disso que o sertão precisa, valorizar a sua cultura cada vez mais, seus personagens, sua história. Estão de parabéns os organizadores”, disse Oleone Coelho Fontes, que veio para participar de uma mesa de conversa.

Cineasta Antonio Olavo conversa com o prefeito Geo durante a Feira Literária

Com múltiplas funções na Feira, o cineasta Antonio Olavo também fez a sua avaliação. “Para mim foi marcante, Luiz Paulo e a sua equipe estão de parabéns. Canudos precisa viver esses momentos históricos para que a sua memória não seja esquecida. Eu tenho certeza que a tendência é de o evento crescer, porque Canudos é a síntese da história do Brasil”, pontuou.

Últimos dias

Nos dois últimos dias da Feira Literária, o sábado (23) e o domingo (24), os visitantes ainda puderam ver muitas coisas importantes da programação.

Padre Wilson Andrade fala sobre “memória e desigualdades” de Canudos

A mesa de conversa sobre “Esquecimentos nos sertões: memória e desigualdades” foi uma das atividades de destaque no sábado. Sob a mediação de Luiz Paulo Neiva (Uneb), a mesa contou com participações do Professor Josemar Martins Pinzoh (Uneb), Padre Wilson Andrade (IPMC), Zulu Araújo (Fundação Pedro Calmon/Secult), Eldon Dantas Canário (pesquisador/escritor), além da professora Teresa Sacchet (Ufba).

A mesa de conversa sobre “Esquecimentos nos sertões: memória e desigualdades”

No sábado aconteceu ainda a mesa “Narrativas de Canudos: da história à ficção”. À noite, no Espaço Edvaldo Boaventura, aconteceu o momento do Cordel, Pífanos e Poesia, com o cordelista Antonio Barreto, o poeta José Américo Amorim e a Banda de Pífanos de Canudos.

Noite de cordel e poesia, com os poetas Barreto e José Américo Amorim
Gereba se apresentou no penúltimo dia da Feira Literária de Canudos

Quase fechando a programação do dia, aconteceu a apresentação musical “Retrato sonoro de Canudos”, com show de Gereba, que contou com boa interação do público. A partir das 23h houve a Virada Cultural no Mirante do Conselheiro.

O público prestigiou a feira literária todos os dias

Para encerrar a festa, no domingo, a partir das 7h, houve visita guiada aos pontos históricos e culturais de Canudos. E por volta das 11h a Orquestra Sisaleira de Conceição do Coité deu os últimos toques, deixando saudade naqueles que viveram os quatro dias da Feira Literária de Canudos.

Gereba e a Banda de Pífanos de Canudos: casamento perfeito

Por Evandro Matos – De Canudos, enviado especial (Fotos: Raimundo Laranjeira e Evandro Matos).

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas