História

Riachão: Ex-ídolo de Palmeiras e Sport, Piaú é sepultado sob aplausos

Foi sepultado no final da manhã deste domingo (02/02), no cemitério de Riachão do Jacuípe, o ex-jogador Josival Sampaio Froes, mais conhecido por PIAÚ. Ele estava internado no Hospital Português, em Salvador, onde lutava contra um câncer no pulmão.

Muita gente foi se despedir de Piaú, apesar do calor intenso do domingo

O velório aconteceu na residência do ex-atleta, no centro de Riachão do Jacuípe, ao lado da Chanty Pão e da casa do sogro Antonio Oliveira Mascarenhas (Toinho de Abdias). O corpo chegou no final da tarde de sábado (01/02) e foi velado durante toda a noite e manhã de domingo.

O sepultamento contou com as presenças de vários segmentos da sociedade jacuipense, notadamente de ex-jogadores contemporâneos de Piaú. Entre os presentes estavam Juarez, Noé, Chico de Elza, Nenga, Maurino, Codó, Rocheta, Antonio Lopes, Valter de Aloisio e João Almeida.

Piaú, com o troféu de artilheiro, no Mandacaru, com Vaval, Pio, João Luiz, o irmão Jeová e Luciano

Eterno brincalhão e de jeito simples, na saída da residência e no cemitério, os presentes aplaudiram o ex-ídolo de Palmeiras, Sport Jacuipense e de tantas outras equipes por onde Piaú fez da bola o seu oficio, como em Senhor do Bonfim, Jacobina e Conceição do Coité.

Amigo-irmão de Piaú, Chico de Elza não arredou o pé enquanto a última pá de terra foi jogada sobre a sepultura, e manteve-se em silêncio absoluto. João Almeida fez questão de ajudar e participar do último adeus. Emocionado, ele esperou que todos saíssem e chorou muito ao lado da sepultura, como se estivesse relembrando do último lance junto com o ex-atacante.

Alegre por fora, mas sofrendo por dentro, Juarez recordava lances e diálogos travados dentro de campo com Piaú. Numa rodinha com o ex-repórter Silvinho Serra Preta, ele relembrava fatos interessantes. “Ele tinha muita saúde e faro de gol. Eu tentava acompanhar ele, mas era difícil. Um dia eu fui combinar algo durante um jogo. Vamos tocar, assim eu não consigo lhe acompanhar; ele disse, ‘se vire’. Aí eu tiver que me virar mesmo e nós ganhamos o jogo com um gol dele”, relembrou Juarez.

João Almeida viveu grandes momentos ao lado do atacante Piaú

Membro da família, o radialista Olivan Cedraz seguia o cortejo em silêncio, mas não conseguia controlar as lágrimas. Contrastando com os passos lentos dos que levavam o caixão para o cemitério, certamente ela comparava com as tantas vezes que teve de imprimir um ritmo veloz para poder narrar os históricos gols de Piaú pela Rádio Jacuipe.

Repercussão

A noticia sobre a morte de Piaú repercutiu até mesmo fora da região de Riachão do Jacuípe. Em Senhor do Bonfim, onde o ex-atacante teve grande passagem, a imprensa local deu destaque ao acontecimento. Já no domingo à noite, em contato com nossa reportagem, o empresário Ubaldo Rios lamentou a perda.

“Eu conhecia ele, sim. Só não fui para o sepultamento porque quando soube já foi hoje, tarde. Eu era secretário de Esporte de Senhor do Bonfim quando ele jogou lá. Poxa, fiquei muito sentido”, disse o empresário.

De Pé de Serra, admiradores do ex-atacante mandavam mensagens através da Rádio Jacuípe. “Aqui ele fez muito sucesso, teve um jogo do Vasco que ele jogou e fez três gols”, disse um ouvinte.

To Top
%d blogueiros gostam disto: