Saúde

Organização Mundial de Saúde declara pandemia de coronavírus

A OMS decidiu nesta quarta-feira (11), declarar a Covid-19 como uma pandemia. “Nas duas últimas semanas, o número de casos de covid-19 fora da China aumentou 13 vezes e o número de países afetados triplicou”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus.

A OMS decidiu nesta quarta-feira (11) declarar a Covid-19 como uma pandemia (Foto: AFP)

Ghebreyesus afirmou que há mais de 118 mil casos em 114 países e 4.291 pessoas morreram. “Milhares de outras estão lutando pelas suas vidas em hospitais”, falou.

O diretor-geral da OMS disse ainda que a projeção para os próximos dias é que aumentem o número de casos de Covid-19, o número de mortes e o número de países afetados.

Ele disse que a OMS tem acompanhado os casos de perto e que estão todos “profundamente preocupados” tanto com os níveis alarmantes da dispersão e da severidade dos casos, assim como com os níveis alarmantes de inação. “Portanto, avaliamos que a Covid-19 pode ser caracterizado como uma pandemia”, completou.

Mas, voltou a ponderar: “Pandemia não é uma palavra para ser usada de maneira descuidada. É uma palavra que, se mal utilizada, pode causar medo irracional ou aceitação injustificada de que a luta acabou, levando a sofrimento e morte desnecessários”. (Fonte: IstoÉ).

Entenda o que é pandemia

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou pandemia de coronavírus em decorrência do aumento no número de casos, mortes e países atingidos pela doença. Ao todo, há 118 mil contaminações confirmadas e mais de 4,2 mil mortos.

Turistas que usam máscaras protetoras visitam Veneza, durante o período habitual das festividades de carnaval que foram canceladas após um surto do novo coronavírus COVID-19 no norte da Itália (Crédito: AFP)

Mas o que isso significa? A disseminação mundial, em uma grande área geográfica, de uma nova doença que afeta uma proporção excepcionalmente alta da população pode ser considerada uma pandemia. De acordo com a OMS, o termo é usado com mais frequência em referência à gripe e geralmente indica que uma epidemia se espalhou para dois ou mais continentes com transmissão sustentada de pessoa para pessoa.

“Pandemia não é uma palavra para ser usada de maneira leviana ou descuidada. É uma palavra que, se mal utilizada, pode causar medo irracional ou aceitação injustificada de que a luta acabou, levando a sofrimento e morte desnecessários”, explicou Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, durante coletiva em Genebra. A gravidade de uma doença não é o parâmetro decisivo para uma pandemia ser declarada, mas sim a efetividade com que a doença se espalha.

De fato, uma pandemia pode começar com gravidade moderada e se tornar mais grave com a chegada de uma segunda propagação. A declaração de pandemia implica que cada país desenvolva um plano de ação e o atualize constantemente com base nas diretrizes da OMS, o que pode incluir medidas para reorganizar os leitos hospitalares, novas instalações de terapia intensiva, compra de medicamentos, além do desenvolvimento e a produção em larga escala de uma vacina, assim como a organização de campanhas de vacinação.

“Descrever a situação como uma pandemia não altera a avaliação da OMS sobre a ameaça representada por esse coronavírus. Não altera o que a OMS está fazendo e nem o que os países devem fazer”, acrescentou Ghebreyesus. O diretor-executivo do programa de emergências da OMS, Michael Ryan, por sua vez, explicou que a declaração também não significa que a OMS adotará novas recomendações no combate ao coronavírus.

Vírus já chegou a vários países e continentes no mundo (Foto: ABC do ABC)

Para ele, a medida “não é como a de uma emergência internacional – é uma caracterização ou descrição de uma situação, não é uma mudança na situação”. “Não é hora para os países seguirem apenas para a mitigação”, que é uma estratégia de saúde pública que busca cuidar dos doentes e públicos prioritários.

A Covid-19 é a segunda pandemia deste século, que ocorre 11 anos após a de influenza H1N1, vírus que causou a gripe suína. A última declaração de pandemia da OMS remonta a 2009, quando a gripe H1N1 atingiu cerca de um bilhão de pessoas nos primeiros seis meses, causando a morte de pelo menos 600 mil indivíduos, segundo especialistas.

Até o momento, a gripe espanhola de 1918 foi a pior pandemia registrada nos últimos anos. Ao todo, pelo menos 50 milhões de pessoas em todo o mundo morreram. (ANSA)

To Top
%d blogueiros gostam disto: