Política

Reviravolta em Nova Fátima: Prefeito Adriano rompe com vice Assis e fecha aliança com Amado

A eleição no município de Nova Fátima, a cerca de 35 km de Riachão do Jacuípe, sofreu uma reviravolta nos últimos três dias. Depois de muitas conversas nos bastidores, dois grupos que sempre foram adversários selaram uma aliança nesta quarta-feira (11), que pode ser decisiva na eleição do próximo dia 4 de outubro.

Vice-prefeito Assis Porto e o Prefeito Adriano: rompimento e nova aliança em 2020

De acordo com as primeiras informações, o grupo do ex-prefeito Amado Cunha (PL) se uniu com o do atual prefeito Adriano Pereira (PP), uma aliança que praticamente liquidação a eleição.

Segundo uma fonte ligada a um dos grupos, as conversas foram iniciadas na última segunda-feira (9), mas o martelo só foi batido na tarde desta quarta. Inicialmente, Aroldo Lopes, como emissário do ex-prefeito Amado Cunha, procurou o prefeito Adriano para iniciar as conversas. Como o diálogo evoluiu, logo o prefeito foi até a residência de Amado para bater o martelo.

Um vídeo que circula nas redes sociais dá conta de como foi o acerto: Mateus, filho de Amado, vai disputar a condição de pré-candidato junto com o prefeito. Mais adiante, quem tiver melhor será o candidato da nova união. A definição será feita através de uma pesquisa. “Foi, ficou combinado assim. Quem tiver melhor, será o candidato”, sintetizou Aroldo à nossa reportagem.

Velhas pendengas

Na verdade, a união inesperada é uma espécie de resposta à intransigência do vice-prefeito Assis Porto (SDE), que tenta ser candidato pelo atual grupo da situação, mas a conta não fecha porque o prefeito Adriano já anunciou que vai disputar a reeleição. Essa mesma situação aconteceu em 2016, quando Assis, por não ser o candidato, acabou indo para a oposição.

O ex-prefeito Amado fez movimentos rápidos que podem mudar a política em Nova Fátima

Egresso do grupo União, que é liderado pelo ex-prefeito Amado Cunha, e de quem era vice e rompeu em 2016, Assis alega que ao fazer o acordo com Adriano ficou acertado que ele seria o candidato agora em 2020. Com isso, ele vinha cobrando o acordo e se mantendo irredutível nas conversas.

Mas as tratativas extrapolaram o grupo do atual prefeito, tanto que Assis teria tentando retornar ao grupo de Amado, mas na condição de ser o candidato. Contudo, segundo informações, Amado teria apresentado a sua esposa Regina como opção e mais adiante o nome seria escolhido através de uma pesquisa, condição que foi rechaçada por Assis. O ex-prefeito Manoel também teria participado das conversas.

Talvez por não ter perdoado Assis totalmente pelo rompimento em 2016, que pode ter lhe custado a reeleição, Amado não parece ter se esforçado muito para levar as conversas adiante, mesmo sabendo que se a aliança tivesse acontecido, seria um páreo difícil para o atual prefeito, já que envolvia também o ex-prefeito Manoel e outras lideranças do município.

Após as conversas com Assis fracassarem, Amado – que ainda não está totalmente livre para disputar a eleição – preferiu enviar um emissário para abrir diálogo com Adriano. Acossado por Assis, o prefeito comprou a ideia e formalizou uma aliança que até dias atrás era data como impossível.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Lidas