Economia

Caixa e Sebrae lançam linha de crédito para as MEIs empresas

A Caixa Econômica Federal (CEF) e o Sebrae lançaram uma linha de crédito especial para os Microempreendedores Individuais (MEIs) e as micro e pequenas empresas brasileiras que estão sendo afetadas financeiramente pela pandemia do novo coronavírus. A parceria, anunciada nesta segunda-feira (20/04), deve liberar pelo menos R$ 7,5 bilhões para o setor.

A Caixa e o Sebrae lançaram uma linha de crédito especial para os microempreendedores Individuais e as micro e pequenas empresas afetadas pela pandemia do novo coronavírus.

Segundo a Caixa, os microempreendedores individuais e as micro e pequenas empresas poderão tomar financiamentos de até R$ 125 mil com juros de no máximo 1,59% ao mês e carência de até 12 meses para começar a pagar, além de prazos de pagamentos flexíveis. Veja as condições oferecidas para cada empresa mais abaixo.

O crédito, porém, só poderá ser tomado pelos clientes da Caixa que estão adimplentes com o banco. Quem não é cliente da Caixa e tem interesse no financiamento, portanto, deve abrir uma conta no banco para poder pedir o financiamento.

Ainda segundo a Caixa, o crédito estará disponível a partir de quarta-feira (22) nas agências bancárias. Os interessados, porém, já podem fazer o cadastro no site da Caixa pedindo o financiamento.

Parceria

Nesse financiamento, serão utilizadas as linhas de crédito da Caixa e garantias complementares do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe) do Sebrae. O Sebrae ainda vai oferecer apoio e orientação administrativa para as empresas. O crédito será, portanto, assistido. 

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, a garantia do Sebrae permitiu a redução de até 41% das taxas de juros que são cobradas ao setor e também pode permitir, mais à frente, a ampliação dessa linha de crédito. A expectativa do Sebrae é elevar o orçamento do programa de R$ 7,5 bilhões para até R$ 12 bilhões. 

Presidente do Sebrae, Carlos Melles explicou que cada R$ 1 colocado pelo Sebrae no Fampe vai ter uma alavancagem de R$ 12 pela Caixa. “Nesse primeiro momento, estamos colocando R$ 500 milhões, para que possa ir fazendo o processo de crescimento de alavancagem do Fampe”, disse, admitindo que a perspectiva é chegar a R$ 1 bilhão de garantias.

Melles explicou que as micro e pequenas empresas são responsáveis por quase 30% do Produto Interno Bruto (PIB) e 50% dos empregos formais do Brasil. Porém, têm sido duramente afetadas pela desaceleração econômica causada pelo novo coronavírus e ainda têm sofrido com a falta de crédito nesse momento de pandemia.

“O segmento tem baixa oferta de crédito e tem sido muito afetada pela pandemia”, reconheceu Guimarães. O presidente da Caixa ressaltou, contudo, que essa linha de crédito só será ampliada se for sustentável para o banco. “Neste governo, nesta gestão, não há a mais leve possibilidade de a Caixa realizar qualquer operação que não seja sustentável para a Caixa no longo prazo. Pode até chegar a R$ 12 bilhões, mas hoje a expectativa da Caixa é de R$ 7,5 bilhões. É um dia depois do outro”, afirmou Guimarães.

Condições

Veja as condições oferecidas para cada tipo de empresa:

Microempreendedor individual:

Limite de financiamento: R$ 12,5 mil

Carência: 9 meses

Prazo de pagamento, após a carência: 24 meses

Juros: 1,59% ao mês

Micro empresa:

Limite de financiamento: R$ 75 mil

Carência: 12 meses

Prazo de pagamento, após a carência: 30 meses

Juros: 1,39% ao mês

Pequena empresa:

Limite de financiamento: R$ 125 mil

Carência: 12 meses

Prazo de pagamento, após a carência: 36 meses

Juros: 1,19% ao mês

To Top
%d blogueiros gostam disto: