História

Morte do repentista Caboquinho deixa lacuna no mundo da viola

Um dos violeiros mais queridos e conhecidos da região Nordeste, o poeta, advogado, radialista e repentista José Crispim Ramos, mais conhecido como Caboquinho, faleceu aos 74 anos, no final da tarde da última terça feira (19.05.), em um hospital particular de Feira de Santana. 

Além de repentista, Coboquinho atuava como advogado (Foto: Acorda Cidade)

O também violeiro João Ramos, irmão de Caboquinho, informou que ele estava internado há algumas semanas com problemas de saúde e morreu por insuficiência respiratória. Caboquinho e pai Dadinho fizeram programas na Rádio Sociedade nos anos 70 e 80 e criaram e produziram os festivais de violeiros que divulgavam o nome de Feira de Santana para todo o Nordeste.

Os festivais eram realizados sempre no mês de agosto com grande presença de público. O Sindicato dos Radialistas de Feira de Santana lamenta a morte do Radialista Caboquinho. O prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho também lamentou a perda.

Caboquinho com o seu parceiro e irmão João Ramos fizeram muita história no repente

“Seguramente o maior repentista da Bahia, para nosso orgulho radicado em Feira de Santana desde a juventude e durante décadas elevando as artes da nossa cidade com o seu talento”, disse o prefeito.

O repentista era natural da cidade de Serrinha, na região sisaleira da Bahia. Ele se apresentou em Riachão do Jacuípe em vários festivais de violeiros organizados pelo Projeto Cultural Riachão.  Para muitos a morte de Caboquinho deixa uma lacuna no mundo da viola.

To Top
%d blogueiros gostam disto: