Polícia

Homem invade sede da Globo e faz repórter refém usando faca

Um homem fez a repórter Marina Araújo refém usando uma faca após invadir a sede da Globo no Rio de Janeiro na tarde desta quarta-feira (10). Segundo o suspeito, o que ele queria, de fato, era ver a âncora do Jornal Nacional, Renata Vasconcellos, que faz aniversário hoje. 

O homem fez a repórter Marina Araújo refém usando uma faca após invadir a sede da TV

Em áudio que circula nas redes sociais, um funcionário da empresa explicou que a polícia chegou pouco depois de a jornalista ser rendida, mas que o suspeito só deixou a vítima quando viu a âncora do JN. Ele, que usava máscara e um chapéu para se disfarçar, foi desarmado pelo coronel Heitor Henrique Pereira e os agentes do 23º batalhão da corporação. Eles compareceram à emissora, conduziram a negociação e prenderam o suspeito.

Em nota enviada ao Terra, a Globo informou que Marina e os outros funcionários que estavam no local não se feriram e passam bem. A emissora também afirmou que, diferentemente do que circula nas redes sociais, o ato não tem nenhuma relação com partidos políticos. “A Globo repudia com veemência todo tipo de violência. Foi obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política”.

Segundo o suspeito, o que ele queria, de fato, era ver a âncora do Jornal Nacional, Renata Vasconcellos, que faz aniversário hoje/ Foto: Reprodução de ‘Jornal Nacional’ / TV Globo

Por causa da confusão na sede do Jardim Botânico, a Globo São Paulo redobrou a segurança e impediu a entrada e a saída de pessoas do edifício localizado no Morumbi.

Veja aqui a transcrição do áudio com o relato de um funcionário da TV:

“Menina, eu tô bem, sim, mas foi um desespero só. Invadiram, sim. Um cara aproveitou que a repórter Marina Araújo estava entrando e rendeu ela. Ficou com uma faca no pescoço dela durante uma hora, mais ou menos, dentro da empresa. Ele queria ver a Renata Vasconcellos. Olha que louco. Ele estava com um chapéu preto e uma máscara preta, e ficou no corredor negociando com a polícia, que chegou um pouco depois. 

A Renata apareceu neste momento. Ela desceu, foi lá, viu ele. Imediatamente, quando ele viu a Renata, ele largou ela [Marina Araújo], e, tipo, acabou. Entendeu? Ele fez esse estardalhaço todo, colocou a vida da garota em risco, só para ver a Renata Vasconcellos. Muita loucura. 

E, tipo, isso poderia ter acontecido com qualquer um. Porque, tipo, ele pegou a primeira pessoa. [Som de aplausos] Tá ouvindo, é a PM. A gente está agradecendo o trabalho. Quando a Renata Vasconcellos voltou para a redação eles aplaudiram ela também. Um horror, um horror, um desespero sem fim. 

Veja a nota enviada pela comunicação da Rede Globo:

Na tarde desta quarta-feira, um homem invadiu a sede da TV Globo, no Jardim Botânico, portando uma faca. Ele fez a repórter Marina Araújo refém. A segurança da Globo rapidamente agiu, isolou o local e chamou a PM. O comandante do 23° batalhão da corporação, coronel Heitor Henrique Pereira, compareceu à emissora e conduziu a negociação.

O homem, que ameaçava a jornalista, liberou a repórter após alguns minutos. Marina e todos os funcionários que estavam no local não se feriram e passam bem. A Globo repudia com veemência todo tipo de violência. Foi obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política. Um homem que exigia ver a jornalista Renata Vasconcellos.

Seguindo instruções do comandante Heitor, Renata compareceu ao local onde estava Marina e o invasor. Tão logo ele a viu, largou a faca e libertou Marina. Foi preso imediatamente. A TV Globo agradece à PM, ao coronel Heitor e a todos os policiais, cuja condução foi exemplar.

Marina se comportou com coragem, serenidade e firmeza, sendo fundamental para o desfecho da situação. Renata foi corajosa, desprendida, solidária e absolutamente imprescindível para que tudo acabasse bem. As duas profissionais estão bem. E foram recebidas pelos colegas com carinho e emoção.

(Fonte: Portal Terra)

To Top
%d blogueiros gostam disto: