Cultura

Wilson Aragão conta a história de Capim Guiné, gravada por Raul

O cantor e compositor Wilson Aragão, natural de Piritiba, no centro norte da Bahia, conta como foi que Raul Seixas gravou a sua música “Capim Guiné”. Aragão é uma peça rara, patrimônio da cultura popular da Bahia.

Repórter Danilo Ribeiro, da TV Bahia, na entrevista com Wilson Aragão

Aqui ele narra a história para a TV Bahia, mas, antes, em 1993, ele contou como conheceu Raul e lhe apresentou a música durante uma roda de conversa com a equipe do Projeto Cultural Riachão, um dia após se apresentar no encerramento da III Semana Cultural de Riachão do Jacuípe.

“Raul era diferente. Eu tive no apartamento dele no Rio de Janeiro, quando ele já estava vivendo aqueles problemas de bebida. Ele não fazia questão de nada, era assim, uma pessoa simples. Ele me deu o violão dele, mas eu não aceitei. Eu disse: ‘Mas, Raul, o violão é seu’, e ele disse que depois compraria outro”.

Wilson Aragão lembrou ainda que Raul Seixas esteve na cidade de Piritiba (na foto ao lado, Kika, Raul, Beto Sodré e Wilson Aragão) para “passar uns dias” por recomendação médica. “Foi quanto ele retirou o pâncreas, os médicos pediram para ele se isolar numa cidade do interior e ele então foi para Piritiba”, revelou Aragão.

Raul Seixas em Piritiba, com a esposa Kika Seixas e pessoas da comunidade

O papo entre Aragão e a equipe do Projeto Cultural aconteceu em um bar de Riachão do Jacuipe, começou pela manhã e só terminou no final da tarde. “Naquele dia, ele perdeu todos os transportes e só viajou no último ônibus”, lembra Evandro Matos, um dos presentes na ‘roda de conversa’.

To Top
%d blogueiros gostam disto: