Economia

Presidente do Banco do Brasil pede demissão; motivo pode ter sido denúncia de Ciro Gomes

O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, entregou carta ao presidente da República, Jair Bolsonaro e ao ministro da Economia, Paulo Guedes, pedindo para deixar o cargo. A renúncia foi comunicada pela própria instituição através de fato relevante, publicado nesta sexta-feira (24).

Rubem Novaes permaneceu à frente do cargo desde 2018 (Foto: Evaristo Sá/AFP)

“O Banco do Brasil (BB) comunica que o sr. Rubem de Freitas Novaes entregou ao exmo. sr. presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, e ao exmo. ministro da Economia, Paulo Roberto Nunes Guedes, pedido de renúncia ao cargo de presidente do BB, com efeitos a partir de agosto […] entendendo que a companhia precisa de renovação para enfrentar os momentos futuros de muitas inovações no sistema bancário”, informou o banco.

Indicado por Guedes em 2018, Novaes permaneceu no cargo desde antes do início da gestão Bolsonaro, ainda durante o governo de transição. No período em que esteve à frente do Banco do Brasil, a instituição se envolveu em polêmicas relacionadas propagandas.

No ano passado, o banco retirou do ar uma propaganda que mostrava uma jovem negra careca, homens de cabelo rosa e homens no salão de beleza, o que gerou indignação nas redes sociais. De acordo com informações do jornal O Globo, Bolsonaro teria vetado a propaganda. 

Ministro Paulo Guedes e o ex-BB Rubem Novaes (Foto: Fábio Rodrigues /Agencia Brasil)

Em maio deste ano, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou ao banco que suspendesse parte dos contratos de publicidade, relacionados a propaganda em sites, blogs, portais e redes sociais.

No mesmo mês, quando se tornou público o vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril, Paulo Guedes sugeriu a privatização do banco. “Tem que vender essa porra logo”, afirmou o ministro. “O senhor já notou que o BNDES e a Caixa, que são nossos, públicos, a gente faz o que a gente quer? Banco do Brasil, a gente não consegue fazer nada e tem um liberal lá. Então, tem que vender essa porra logo”, acrescentou.

Carteira do BB vendida por 10% do valor

Mas, segundo o que apurou o site Interior da Bahia, o que pode ter sido decisivo para o pedido de demissão do presidente do Banco do Brasil foi a venda da carteira de papéis do BB ao BTG Pactual, que é um banco fundado por Paulo Guedes, atual ministro da Fazenda.

Ex-ministro Ciro Gomes tem feito denúncias sobre as negociatas do governo

Voz firme na oposição, o ex-ministro Ciro Gomes vem denunciando a transação, que, além de beneficiar um membro do governo, a carteira foi vendida com apenas 10% do valor estimado, o que se constitui em um grande escândalo e crime contra o patrimônio público do país.

Segundo Ciro, o Banco do Brasil teria vendido papéis de empréstimos no valor de R$ 3 bilhões por cerca de R$ 300 milhões ao BTG Pactual. “Estão roubando de braçada. É um negócio absolutamente escandaloso o governo do ‘seu’ Jair Bolsonaro, disse Ciro ao fazer a denúncia.  

To Top
%d blogueiros gostam disto: