Entretenimento

Após ‘A Escrava Isaura’, Record vai reprisar, agora, ‘Escrava Mãe’

Inspirada em “A Escrava Isaura”, romance de Bernardo Guimarães (1825-1884), “Escrava Mãe” será reprisada nas tardes da Record a partir de 18 de agosto. A informação foi confirmada pela emissora nesta sexta-feira (31).

Pedro Carvalho é Miguel e Gabriela Moreyra vive Juliana, a escrava mãe (Foto: Record(

Originalmente, a novela de Gustavo Reiz foi exibida entre 2016 e 2017. Na época, a emissora adiou por quatro vezes o início da exibição na faixa das 19h, horário até então ocupado pelo programa policial Cidade Alerta. Um dos motivos foi o sucesso de “Totalmente Demais”, exibida no mesmo horário na Globo.

Para evitar confronto direto com a trama de Rosane Svartman e Paulo Halm, que atualmente está em reprise, a Record esperou o término do folhetim da emissora carioca para estrear “Escrava Mãe”. A trama teve seu primeiro capítulo exibido no mesmo dia e hora em que a Globo colocou no ar a “Haja Coração”.

Coincidência ou não, a Globo confirmou nesta semana que “Haja Coração” (2016), de Daniel Ortiz, será reprisada na faixa das 19h a partir de outubro. Dessa vez, porém, não haverá um embate entre às duas tramas. “Escrava Mãe” ocupará o horário de “A Escrava Isaura”, que tem rendido bons índices de audiência à Record, em São Paulo e no Rio de Janeiro, das 15h16 às 16h02.

De acordo com a emissora, a novela de Tiago Santiago, nesta quinta (30), teve média de 9 pontos, com pico de 10 na Grande São Paulo (cada ponto do Kantar Ibope na região equivale a 74.987 casas). Já no Rio, o folhetim teve seu recorde de audiência com média de 10 pontos, com pico de 11 (cada ponto corresponde a 47.454 domicílios). O último capítulo de “A Escrava Isaura” vai ao ar em 18 de agosto.

MÃE DE ISAURA

Tia Joaquina (Zezé Motta) conversa com Juliana (Gabriela Moreyra) em tom professoral e avisa: “Vida de negro é difícil, mas toda história tem dois lados. Mesmo nas histórias tristes há beleza, um pedacinho de amor, esperança”.

Daquele papo em uma fazenda o telespectador é levado para uma tribo de Angola, em 1789. Lá, verá o casamento de Luena (Nayara Justino) e Kamau (Marcelo Batista) ser interrompido por um traficante de escravos que prende todos.

No navio negreiro rumo ao Brasil, o algoz Osório (Jayme Periard) estupra Luena, e ela fica grávida.

Corta para 1808, no Brasil. A criança nascida é Juliana, que agora ouve sua história. É assim que começa “Escrava Mãe”, protagonizada por Gabriela e pelo ator português Pedro Carvalho. Ele vive Miguel, jovem estrangeiro que se apaixona pela escrava.

A novela mostrará os horrores da escravidão, com cenas de violência, mas o foco não será este, segundo o autor. A trama também terá comédia pastelão, com torta na cara, como as que devem dominar a novela global, em um núcleo que conta com Jussara Freire e Cassio Scapin. (Fonte: Filhapress).

To Top
%d blogueiros gostam disto: