Política

Perguntas que a família Bolsonaro ainda não respondeu no caso Queiroz

Desde que as primeiras informações sobre o esquema conhecido como “rachadinha” no gabinete do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), enquanto ele ocupava o posto de deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) vieram à tona, a família Bolsonaro se recusa a responder perguntas que ajudem a esclarecer o suposto esquema encabeçado pelo ex-assessor Fabrício Queiroz.

Bolsonaro e os filhos: como o PT, o discurso da ética indo pro lixo (Foto: UOL)

A questão mais recente, ligada ao ex-assessor de Flávio, trata sobre os valores repassados por Queiroz para a conta da primeira-dama Mchele Bolsonaro, que chegam a R$89 mil, como mostraram a revista “Crusoé” e o jornal “Folha de S.Paulo”, informações confirmadas pelo Globo.

Ao ser questionado neste domingo, o presidente Jair Bolsonaro se recusou a responder e afirmou a um repórter do Globo que estava com vontade de “encher a boca” dele de porrada. Bolsonaro fez a afirmação ao ser perguntado sobre os depósitos na conta da primeira-dama Michelle Bolsonaro.

Veja agora as dúvidas que ainda pairam sobre os cheques depositados por Fabrício Queiroz:

Qual foi o valor repassado por Queiroz a Michelle Bolsonaro?
O valor total foi de R$ 89 mil. Segundo reportagem da revista “Crusoé”, Fabrício Queiroz repassou R$ 72 mil em 21 cheques descontados por Michelle entre 2011 e 2016. O jornal “Folha de S.Paulo” informou ainda que Márcia Aguiar, mulher de Queiroz, repassou R$ 17 mil para Michelle em 2011, em seis cheques: cinco de R$ 3 mil e um de R$ 2 mil.

O presidente Jair Bolsonaro já falou sobre o assunto?
No fim de 2018, após o Coaf apontar um repasse de Queiroz para Michelle de R$ 24 mil, Bolsonaro disse que o depósito era o pagamento de um empréstimo que havia feito ao ex-assessor de seu filho. A dívida total, segundo Bolsonaro, era de R$ 40 mil, valor inferior ao total revelado pela “Crusoé”. Bolsonaro ainda não explicou a diferença de valores.

Por que os cheques foram descontados por Michelle, e não por Bolsonaro?
Segundo o presidente afirmou no fim de 2018, a primeira-dama descontou os cheques porque ele não tinha “tempo de sair”. Embora o presidente tenha dito que emprestou dinheiro a Queiroz, a quebra de sigilo do ex-assessor não identificou nenhuma transferência em nome de Jair Bolsonaro na sua conta bancária.

Primeira-dama recebeu cheques na conta feitos por Queiroz

Os repasses têm relação com a investigação da “rachadinha” que envolve Flávio Bolsonaro?
Em nota, o MP disse que a primeira-dama “não faz parte do escopo das investigações sobre a prática de rachadinha” no gabinete do então deputado Flávio Bolsonaro entre 2007 e 2018. A quebra de sigilo de Queiroz mostrou que o ex-assessor recebeu 483 depósitos de pelo menos 13 assessores, totalizando R$ 2 milhões.

Bolsonaro pode ser investigado pelos repasses a Michelle?
A Constituição diz que o presidente “não pode ser responsabilizado por atos estranhos ao exercício de suas funções” durante o mandato. Por serem repasses feitos antes de Bolsonaro assumir a Presidência, ele não poderia ser denunciado pela PGR, por exemplo, em caso de conexão entre os pagamentos e alguma atividade ilícita. (Fonte: O Globo).

To Top
%d blogueiros gostam disto: