Esporte

Série C: Próximo adversário do Jacuipense, Paysandu é campeão paraense pela 48ª vez na história

Próximo adversário do Jacuipense pela Série C do Brasileirão, o Paysandu é o campeão paraense de 2020 pela 48º vez. A vitória bicolor contra o Remo, por 1 a 0, com gol de Uchôa, no último lance da partida, confirmou a superioridade do time da Curuzu. No placar agregado, 3 a 1 a favor de Hélio dos Anjos e companhia. 

O Bicola fez a festa no Mangueirão (Cristino Martins / OLiberal)

O jogo foi extremamente nervoso. Com a desvantagem parcial, o Remo precisava assumir uma postura ofensiva. E assim o fez. O treinador azulino, Mazola Jr, adiantou a marcação e pôs dois atletas velozes para atuar nas duas extremas de campo, complementados pela referência que era o centroavante Zé Carlos.

Dessa forma, em vários momentos, o Leão encurralou os dois laterais do Paysandu, que em geral, são válvulas de escape da equipe de Hélio dos Anjos. o jogo não fluiu pelo meio-campo ofensivo bicolor. O setor estava tumultuado. Apenas o habilidoso Vinícius Leite tentava sair do comum, embora sem muito sucesso. Pelo menos, nos primeiros 45 minutos… 

Técnico Helio dos Anjos participou da festa com os jogadores (Foto: Futebol Interior)

Apesar da estratégia azulina ter surtido efeito, havia um problema eminentemente ofensivo, relacionado ao último passe. A zaga bicolor, bem posicionada, jogou de forma séria e afastou vários perigos. O detalhe, porém, foi a bola parada do meia Charles. Com força e muita categoria, esse tipo de jogada se tornou a principal do Remo. Zé Carlos teve uma chance, desperdiçada, assim como Gustavo Ermel e Fredson. Os ataques assustaram.  

O cenário da partida, porém, foi alterado com a expulsão de Fredson, que bateu duas vezes em Nicolas, de forma seguida. O juiz Wilton Pereira Sampaio expulsou o atleta remista, sem pensar duas vezes. Ainda com 10, o Remo manteve a estratégia e foi para cima do Papão. Cercou e teve perigo em lances de bola aérea. 

Segundo tempo 

Na etapa final, Hélio dos Anjos observou os problemas ofensivos e resolveu promover duas alterações. Saíram os discretos Alan Calbergue e Mateus Anderson para a entrada de Luiz Felipe e Uilliam Barros. O Papão evoluiu de forma significativa. E as chances surgiram. Aos cinco, o time bicolor teve uma chance de ouro nos pés de Tony. Na cara do gol, o lateral parou em Vinícius. Aos 8,15 e 32, Vinícius Leite desperdiçou lances claros de gol. Mas, ele viria a se tornar um dos protagonistas do principal momento.  

Antes, porém, já era possível observar que o Leão, por sua vez, diminuiu o seu ritmo consideravelmente. Talvez até por uma condição física. Talvez também por uma questão de liderança técnica – Eduardo Ramos não jogou. Mazola Jr pôs Hélio e Carlos Alberto para tentar renovar o seu fôlego. Mas, a partida só viria a ficar equilibrada após a expulsão infantil de Luiz Felipe ao dar um carrinho no meio de campo. O Remo veio para cima. O Papão recuou.

Aos 50 minutos, o golpe final e definitivo. Depois de uma bola trabalhada por Vinícius Leite, que passou por dois marcadores, Uchôa finalizou, com precisão para marcar o único gol da partida e sacramentar o título bicolor. (Fonte: O Liberal).

To Top
%d blogueiros gostam disto: